SP terá fiscalização intensificada a partir de 1º de junho, diz Covas

Prefeito enfatizou que a partir de segunda-feira (1º) a administração municipal receberá protocolos de funcionamento de setores que desejam reabrir

SP fiscalizará estabelecimentos que abrirem sem aval sanitário

SP fiscalizará estabelecimentos que abrirem sem aval sanitário

Leandro Ferreira/Fotoarena/Estadão Conteúdo - 27.5.2020

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, afirmou nesta sexta-feira (29) que a administração municipal deve intensificar a fiscalização sobre as atividades comerciais a partir da segunda-feira (1º). "Estamos prevendo, a partir do dia 1º, intensificar a fiscalização. É importante deixar bem claro que apesar da autorização dada pelo governo, os setores não começam a abrir dia 1º", afirmou Covas.

Leia mais: Reabertura de parte do comércio em SP será um teste, diz secretária

Em coletiva de imprensa para explicar como ocorrerá o processo de reabertura na cidade, Covas afirmou que, para reabrir, empresas e setores terão de criar protocolos que serão submetidos à Secretaria de Trabalho e ter o aval da Vigilancia Sanitária.

Os pré-requisitos para abertura são: protocolos de saúde, higiene, testagem, autorregulação, política de comunicação com regras e protocolos para funcionários e clientes. Escolas e creches ficam fechadas. "Os empresários também precisam fazer a sua parte para que a gente não volte atrás."

Leia mais: Região metropolitana de São Paulo terá cinco divisões na retomada

Segundo Bruno Covas, o município foi classificado pela fase dois pelas características que apresenta. "Conseguimos manter o número de casos nas duas semanas praticamente estável e continuamos à disposição para trabalhar com municípios da região metropolitana. Isso reforça a necessidade de se discutir a governança metropolitana", afirmou.

Leia mais: 'Precisamos fazer a reabertura sem prejudicar as mulheres', diz Covas

Covas lembrou ainda que a cidade continua em quarentena. "Não vencemos o vírus, continuem a usar máscaras", afirmou. "É preciso lembrar que nada reabre a partir do dia 1º de junho, somente começaremos receber os protocolos setoriais com orientações de higiene, horários, alternativos, fiscalização e autotutela que as associações farão e de que forma não vamos ampliar a desigualdade já que as creches estarão fechadas."

Arte R7