Novo Coronavírus

São Paulo SP terá mutirão para morador de rua tirar RG e acessar auxílio federal

SP terá mutirão para morador de rua tirar RG e acessar auxílio federal

Doria anunciou também o repasse de R$ 3 milhões aos centros de acolhimento dos idosos e serviços de Poupatempo online para conter covid-19

  • São Paulo | Do R7

Moradores de rua recebem auxílio de entidades em meio à pandemia

Moradores de rua recebem auxílio de entidades em meio à pandemia

Divulgação

O governador João Doria afirmou nesta quarta-feira (6), durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, que um mutirão será realizado para fornecer às pessoas em situação de rua o registro de identidade, o RG, e assim conseguirem acessar o axílio emergencial pago pelo governo federal. 

Leia mais: Governo de SP prevê 'dificuldades' com isolamento abaixo de 50%

"Orientei a Secretaria de Segurança Pública para realizar um mutirão para atender a população de rua para oferecer carteira de identidade para acessarem o auxílio", afirmou Doria. "O general Campos orientou a Polícia Civil."

Além disso, o governo de São Paulo anunciou também outras medidas para minimizar os efeitos da crise provocada pelo coronavírus. Doria disse que vai repassar R$ 3 milhões aos centros de acolhimento dos idosos que vivem com dificuldade. A medida, segundo o governo, beneficiaria 19 mil idosos em 590 abrigos da cidade, interior e litoral de São Paulo. O dinheiro será utilizado para máscaras e luvas.

Leia mais: Fluxo em delegacias na pandemia gera divergência entre as polícias

Outro anuncio foi o serviço do Poupatempo Digital. "A utilização do serviço digital facilita e poupa o tempo das pessoas. Os serviços podem ser feitos pelo celular", disse o governador. Entre os serviços oferecidos, serão oferecidos a segunda via e a renovação da CNH, o acesso ao seguro desemprego, atestado de antecedentes criminais, serviços da CDHU e da Sabesp.

Isolamento e luto

Em relação à taxa de isolamento, medida pelo sistema de monitoramento inteligente do governo, foi registrado o percentual de 48% na terça-feira (5). "É bem abaixo da média mínima desejada. Nenhuma medida será adotada sem a média de 50% e 60% e infelizmente não estamos alcançando essa média", disse Doria.

Leia mais: Para 6 em cada 10 paulistanos não cumprir isolamento é desvantagem

O governo anunciou ainda que, a partir de quinta-feira (7), será decretado luto oficial para todo o estado de São Paulo enquanto durar a pandemia. A medida foi tomada após o estado alcançar a marca dos 3 mil mortos por coronavírus. "O maior volume de mortes em uma circunstância em menos de 60 dias, são  3 mil vidas perdidas."

Doria comentou ainda a visita do ministro da Saúde, Nelson Teich, a Manaus, uma das cidades mais atingidas pela covid-19. "Ele teve a coragem de ir a Manaus para ver de perto o colapso de saúde presencialmente ao lado do governador e do prefeito", afirmou. Ele sentiu, olhou com clareza a gravidade que essa crise causou no país. Ele declarou que não há a menor hipótese de descartar a conduta do isolamento social."

Leia mais: Justiça derruba relaxamento do isolamento social no interior de SP

O estado registrou 3.045 óbitos e uma taxa de ocupação de UTI de 86,6%. "Estamos brincando com a sorte", disse José Henrique Germann. "Estamos vendo uma frouxidão e uma velocidade da taxa de infecção. A única arma que temos é o distanciamento social. É fundamental que a população continue se sacrificando", afirmou David Uip, coordenador do Centro de Contenção ao Coronavírus. 

Últimas