Novo Coronavírus

São Paulo SP ultrapassa mil mortes por covid-19 e Covas decreta luto de 3 dias

SP ultrapassa mil mortes por covid-19 e Covas decreta luto de 3 dias

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, até quinta-feira (23), a cidade de são Paulo tinha 11.025 casos confirmados da doença e 1.124 óbitos

  • São Paulo | Mariana Rosetti, da Agência Record

Prefeito Bruno Covas decreta luto de três dias em homenagem às vitimas da covid-19

Prefeito Bruno Covas decreta luto de três dias em homenagem às vitimas da covid-19

Divulgação / Leon Rodrigues Prefeitura de SP

Após a cidade de São Paulo ultrapassar 1.000 mortes pelo novo coronavírus na sexta-feira (24), prefeito Bruno Covas decreta luto oficial de três dias no município e ativa plano de emergência em cemitérios. 

Leia mais: Isolamento abaixo de 50% ameaça flexibilização na cidade de São Paulo

O luto foi decretado "como expressão de profundo pesar pelos falecimentos ocorridos", segundo consta do próprio documento, que foi compartilhado pelo prefeito em uma rede social no fim da noite de sexta-feira (24).

Entre as justificativas do estado de luto, o documento discorre sobre "o espírito de solidariedade do povo paulistano, que está enfrentando unido a grave pandemia do coronavírus", sobre "a grande tristeza de que a cidade de São Paulo é tomada, com as 1000 mortes" e, por fim, "a desolação que se abate sobre cada uma das famílias enlutadas".

Leia mais: SP suspende prazos de multas de trânsito por tempo indeterminado

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), até a última quinta-feira (23), a cidade de são Paulo tinha 11.025 casos confirmados da doença e 1.124 óbitos.

O decreto passou a valer desde a data de sua publicação. Em uma rede social, Bruno Covas comentou o decreto e utilizou uma hashtag para salientar a importância do isolamento social, pedindo aos munícipes que fiquem em casa.

Leia mais: "Não é marolinha, é pandemia", diz Covas sobre coronavírus

"Meus sentimentos a cada uma das famílias de nossos profissionais de saúde que morreram na linha de frente lutando por todos nós", afirmou Covas na publicação da rede social. 

Emergência nos cemitérios

A Prefeitura de São Paulo preparou um Plano de Contingenciamento Funerário. O objetivo é atender o aumento da demanda em decorrência de óbitos da covid-19 (doença provocada pelo coronavírus).

Leia mais: Covas detalha medidas de ampliação do serviço funerário

"Nossa preocupação é de estarmos preparados para organizar e minimizar dor das famílias, para que elas possam dar um sepultamento digno aos entes que serão perdidos. Por isso, elaboramos este Plano de Contingência, para que a gente possa ter um funcionamento adequado do sistema funerário na cidade de São Paulo", disse o prefeito Bruno Covas.

As medidas preveem a criação de centro de informação, centro de logística para sepultamentos, locação de câmaras refrigeradas, contratação de novos coveiros, novas sepulturas, entre outros.

Entre as ações está a abertura de agências funerárias dentro dos hospitais municipais e a possibilidade de as famílias contratarem diretamente serviços funerários privados – o que reduzirá em 20% a pressão em cima do sistema funerário.

A Prefeitura de São Paulo afirmou ter adotado ações que possibilitam a realização de 400 sepultamentos por dia, seguindo os protocolos de segurança dos profissionais e respeitando as vítimas e seus familiares, mas decidiu agir para evitar o colapso do serviço funerário, como já ocorreu em diversos lugares.

Segundo a administração municipal, a média histórica de sepultamentos é de cerca de 240 por dia no período de verão. Nos meses de inverno, esse número chega a 300 por dia.

Últimas