São Paulo SP: vacinação de grávidas acima de 18 anos começa nesta segunda (7)

SP: vacinação de grávidas acima de 18 anos começa nesta segunda (7)

Gestantes devem apresentar atestado médico para imunização. Vacinação ocorre em São Bernardo do Campo, Campinas e capital

SP começa a vacinar gestantes com mais de 18 anos nesta segunda-feira (7)

SP começa a vacinar gestantes com mais de 18 anos nesta segunda-feira (7)

Saulo Angelo / Estadão Conteúdo / 12.05.2021

A Prefeitura de São Paulo começa a vacinar nesta segunda-feira (7) contra a covid-19 gestantes com mais de 18 anos sem comorbidades. O anúncio foi feito pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB) na sexta-feira (4). A estimativa da prefeitura é que 100 mil gestantes sejam imunizadas. Para este público, serão utilizados imunizantes da Pfizer e da CoronaVac.

Além da capital, as cidades de São Bernardo do Campo e Campinas também começam a imunizar gestantes e puérperas nesta segunda-feira. O governador João Doria afirmou que na quinta-feira (10) grávidas de todo o estado comecarão a ser imunizadas contra a covid-19. 

Para a vacinação, é necessário que as gestantes tenham uma indicação médica, um atestado que oriente e autorize a tomada do imunizantes. "Ela tomará a vacina desde que tenha a orientação médica", afirmou o prefeito Ricardo Nunes. 

Nesta segunda-feira também começa a vacinação de pessoas com comorbidades acima de 18 anos. Para pessoas que forem tomar a primeira dose da vacina, a prefeitura informa que deve ser apresentado um comprovante de condição de risco, como receitas e relatórios físicos ou digitais, fotografia em celular, desde que com identificação do paciente, CRM e na validade de dois anos de emissão. Também é necessário apresentar um comprovante de residência do município de São Paulo.

Assim como os demais grupos, este público poderá ser imunizado nas 468 Unidades Básicas de Saúde (UBS), AMA/UBS Integradas, nos dez mega postos, farmácias e drives implantados na cidade. Quem precisar tomar a segunda dose deve procurar uma das UBSs da cidade.

A cidade de São Paulo também começou a vacinar mulheres que amamentam, as chamadas lactantes, com comorbidades na segunda-feira (7). Segundo o secretário municipal de saúde, Edson Aparecido, além dos documentos que atestam a comorbidade, as lactantes precisam apresentar a certidão de nascimento de até um ano. "As vacinas administradas em mulheres que amamentam não tem nenhum tipo de restrição diferente do que tínhamos para gestantes e puérperas até 45 dias", diz Aparecido.

Últimas