Novo Coronavírus

São Paulo SP vacinará pessoas com Down e trabalhadores do transporte

SP vacinará pessoas com Down e trabalhadores do transporte

Pacientes transplatados e com doenças renais serão imunizados, bem como metroviários, ferroviários, motoristas e cobradores

  • São Paulo | Guilherme Padin, do R7

Sindicato havia marcado greve para esta terça (20), mas a cancelou após acordo

Sindicato havia marcado greve para esta terça (20), mas a cancelou após acordo

Edson Lopes Jr./R7 - 15.04.2021

O governo do estado de São Paulo anunciou, em coletiva de imprensa nesta terça-feira (20), no Palácio dos Bandeirantes, que vacinará os trabalhadores do Metrô e da CPTM e também pessoas com comorbidades contra a covid-19.

O público com comorbidades é composto por 120 mil pessoas entre pacientes transplantados (30 mil pessoas), com síndrome de down (50 mil) e pacientes renais em terapia (40 mil), com início em 10 de maio. "Estamos utilizando as comorbidades que têm maior chance de letalidade e com maior chance de lotar o sistema de saúde", afirmou José Medina, médico e membro do Centro de Contingência do Coronavírus.

Os trabalhadores metroviários e ferroviários, que compõem um grupo de 10 mil pessoas, começam a ser vacinados em 11 de maio. No dia 18, serão imunizados os 165 mil motoristas e cobradores do estado.

O governo também anunciou nesta terça a antecipação da vacinação de idosos de 64 anos para 23 de abril (sexta-feira), de 63 anos para 29 de abril e de 60 a 62 anos para 6 de maio.

"Esse é o grupo mais vulnerável à infecção e com maior chance de desenvolver o desfecho indesejado de chegar ao óbito", diz Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus.

Confira o calendário de vacinação dos públicos anunciados nesta terça

Confira o calendário de vacinação dos públicos anunciados nesta terça

Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

Metroviários suspenderam greve após reunião com governo

O Sindicato dos Metroviários de São Paulo anunciou o cancelamento da greve sanitária marcada para esta terça-feira (20) depois de assembleia realizada na noite desta segunda-feira (19).

A decisão foi tomada após o anúncio de um acordo com o governo paulista para a vacinação de cerca de e condutores de 2.800 operadores trens, de todas as idades, do Metrô e da CPTM.

A categoria se tornou prioritária para a Secretaria de Transportes Metropolitanos devido à exposição à covid-19, portanto protestava pelo número de trabalhadores infectados e mortos pela doença: dados apurados pelo sindicato e divulgados na semana passada apontaram 24 mortes e 1.147 afastamentos de metroviários de São Paulo pelo novo coronavírus.

Ocupação de leitos de UTI

A atual taxa de ocupação de leitos de UTI no estado é de 82,9% e de 80,8% na Grande São Paulo, segundo informou o governo do estado paulista.

As mais recentes taxas de isolamento registradas foram de 50% no domingo (18) e de 41% na segunda-feira (19).

"Tínhamos feito uma previsão de que a partir da redução de internações, ocorreria uma diminuição no número de mortos. Devemos chegar perto dos 10% de redução nos próximos dias, mas os números se reduziram até de forma mais rápida do que imaginávamos', disse João Gabbardo, coordenador-executivo do Centro de Contingência da Covid-19 do estado.

Jean Gorinchteyn, secretário da Saúde de São Paulo, apontou que houve uma queda na taxa de internações de 8,7% entre a 14ª e a 15ª semanas deste ano. "Tivemos 18 dias consecutivos de queda. É o nosso referencial de contenção de uma pandemia", disse.

SP liberou 700 mil doses ao governo federal na segunda-feira

Nesta segunda-feira (19), o governo do estado de São Paulo liberou 700 mil doses da CoronaVac ao PNI (Programa Nacional de Imunização), chegando a 41,4 milhões de doses enviadas ao governo federal.

A gestão estadual também recebeu na segunda uma remessa com 3 mil litros de IFA (Insumo Farmacêutico Ativo) para a produção de 5 milhões de doses da vacina. Até o final de abril, outra remessa com mais 3 mil litros do insumo deve chegar a São Paulo.

Últimas