São Paulo Suspeito de atirar contra torcedores santistas é indiciado por homicídio

Suspeito de atirar contra torcedores santistas é indiciado por homicídio

Homem não tinha passagem pela polícia e foi indiciado por homicídio doloso. Polícia ouviu oito pessoas até o momento. Vítimas tinham 21 e 22 anos

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Após dois torcedores do Santos terem morrido baleados durante uma briga na avenida Portugal, em Mauá, na Grande São Paulo, no domingo (23), o suspeito de atirar contra as vítimas confessou o crime. As informações são do repórter Lucas Carvalho, da Record TV. O homem não tinha passagem pela polícia e foi indiciado por homicídio doloso.

A confusão começou quando um grupo de torcedores do Palmeiras comemorava a vitória do clube sobre o Santos por dois a zero em um posto de combustível. Torcedores santistas se aproximaram e uma briga se iniciou. A polícia deve ter acesso às imagens do estabelecimento na manhã desta segunda-feira (24). Oito pessoas foram ouvidas até o momento.

Os dois grupos de torcedores se enfrentavam com barras de ferro, garrafas e pedaços de madeira. Diversos torcedores sofreram escoriações durante a confusão. Em certo momento, um torcedor do Palmeiras sacou uma arma de fogo e efetuou disparos. 

Três pessoas foram atingidas, sendo um deles apenas de raspão. Outros dois foram atingidos gravemente, não resistiram e morreram. Um deles é Higor Matias Toledo, de 22 anos, e o outro é Sérgio Henrique Belisari da silva, 21 anos.

Os dois clubes paulistas se enfrentaram no Estádio do Morumbi em um jogo pelo Campeonato Brasileiro que terminou com a vitória do time da capital por 2 a 1.

Momentos depois, a Polícia Militar conseguiu localizar um veículo, modelo Celta preto, com três palmeirenses. Eles foram abordados e confessaram participação nos disparos, sendo detidos e encaminhados para a delegacia. A arma utilizada no crime não foi localizada.

Torcedor do Santos morre baleado em briga com palmeirenses

Torcedor do Santos morre baleado em briga com palmeirenses

Reprodução

Em depoimento, os detidos afirmaram que estavam em menor número no confronto e, então, segundo eles, para defesa própria, sacaram a arma de fogo para tentar se desvencilhar das agressões.

Na delegacia, diferentemente da versão apresentada pelos integrantes de uma das torcidas organizadas palmeirenses, os santistas disseram que eles quem estavam no posto e foram atacados pela torcida rival.

A ocorrência foi conduzida ao 1° DP de Mauá. Segundo o investigador, o delegado interroga as testemunhas para tomar as medidas cabíveis e identificar qual a torcida que iniciou a briga.

Últimas