São Paulo Suspeito de executar policial militar é preso em SP e confessa o crime

Suspeito de executar policial militar é preso em SP e confessa o crime

Givanildo cumpria pena de 22 anos de prisão, mas ao fim do ano passado conseguiu uma saída temporária e não retornou à cadeia

  • São Paulo | Do R7

Crime ocorreu no último dia 20

Crime ocorreu no último dia 20

Reprodução / Record TV

A polícia prendeu um homem suspeito de executar o policial militar Jefferson Ferreira, no última dia 20 de junho. Preso na segunda-feira (29) por tentativa de roubo a um cofre na Lapa, zona oeste de São Paulo, Givanildo Rosa de Souza confessou ter matado o policial. As informações são da Record TV.

Givanildo cumpria pena de 22 anos de prisão, mas ao fim do ano passado conseguiu uma saída temporária e não retornou à cadeia.

Veja também: PM é morto a tiros de fuzil no Jardim Helena, zona leste de São Paulo 

Durante a confissão, o homem de 40 anos disse ter sido contratado por uma organização criminosa com a missão de matar Jefferson.

Givanildo responderá por homicídio. Os outros dois homens que estavam no carro e participaram do crime não foram identificados e seguem foragidos.

O caso

Jefferson Ferreira, cabo da Polícia Militar, foi morto a tiros de fuzil na manhã do sábado (20), na frente de sua casa, no Jardim Helena, zona leste de São Paulo.

A Record TV teve acesso ao circuito de segurança que gravou o momento da execução. A imagem mostra um Hyundai Azera preto passando pela rua. O veículo avança em direção ao policial, que usava uma moto durante sua folga. O carro atinge um poste e o PM cai da moto depois da colisão. Três homens descem do carro e um deles atira no policial. O trio foge a pé na sequência do crime.

Jefferson foi socorrido e levado pelo helicóptero Águia da PM para o hospital Santa Marcelina de Itaim Paulista, mas não resistiu. O caso foi registrado no 50º DP, no Itaim Paulista.

Últimas