São Paulo Suspeito de matar jovem no litoral de SP presta depoimento à polícia

Suspeito de matar jovem no litoral de SP presta depoimento à polícia

Para Polícia Civil, Willian Lourenço dos Santos teria confessado que matou a estudante Julia Rosenberg, mas negou ter estuprado

  • São Paulo | Beatriz Leite, da Agência Record

Estudante foi morta em São Sebastião (SP)

Estudante foi morta em São Sebastião (SP)

Reprodução/ Facebook

Suspeito de matar a estudante Julia Rosenberg, de 21 anos, Willian Lourenço dos Santos prestou depoimento à Polícia Civil de São Sebastião, no litoral de São Paulo, nesta terça-feira (10). Ele negou ter estuprado a jovem e afirmou que tinha a intenção de sequestrá-la.

O suspeito foi interrogado no 2º DP de São Sebastião durante a manhã, e os policiais realizaram a reconstituição do crime no período da tarde.

Embora tenha negado o estupro, Willian teria confessado que praticou o homicídio, segundo a Polícia Civil. Ele teria dito, no depoimento à polícia, que sua intenção era ficar com a vítima e pedir resgate.

Leia também: Polícia identifica homem que matou jovem em trilha no litoral de SP

Os policiais não acreditam nesta versão, já que Willian não dá detalhes desse plano de sequestro, apenas afirma que tinha comparsas e um local para usar de cativeiro, mas que não iria revelar quem era ou o local.

Na última semana, exames confirmaram que o DNA de Willian é o mesmo encontrado na alça da pochete de Julia, utilizada pelo suspeito para matar a jovem, e também no tecido encontrado na boca da garota.

Além de um retrato falado, fornecido por uma testemunha que afirmou que no dia anterior ao desaparecimento da Julia, presenciou um homem armado com uma faca incomodando as pessoas.

O irmão do suspeito foi o primeiro a ser localizado pela polícia, e ele indicou William como possível responsável pelo crime. Quando as equipes o localizaram, constataram que havia mandado de prisão aberto contra ele. O homem encontrava-se em prisão domiciliar, mas mudou de endereço sem autorização e acabou detido.

A Polícia Civil afirmou que o homem também será investigado por outros possíveis crimes sexuais ocorridos na região.

Para os policiais, mesmo a pena de latrocínio, que é roubo seguido de morte, ser maior do que a de estupro e homicídio, o suspeito prefere ser condenado por latrocínio, já que acusados por estupro não são aceitos pelos detentos dentro do sistema prisional.

Willian ficará até sexta-feira (13) na Cadeia Pública de Caraguatatuba e depois será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória II de Serra Azul. Nesse período, os policiais irão analisar a necessidade de fazer um novo interrogatório com o suspeito. Os agentes também querem fazer um levantamento de outros crimes que ocorreram na região e verificar se houve o envolvimento de Willian.

A estudante de veterinária, de 21 anos, foi morta há 4 meses enquanto fazia uma trilha em São Sebastião, no litoral norte de São Paulo. O corpo da jovem foi encontrado enterrado no dia seguinte.

William estava foragido desde 2012. Na época, ele foi condenado por estupro, a mais de 4 anos de prisão, mas estava em liberdade quando a sentença saiu e acabou fugindo. Há 2 meses, ele finalmente foi preso em uma praia próxima ao local onde Julia foi morta.

Últimas