São Paulo Suspeito embriagado em moto de luxo atropela e mata dois operários

Suspeito embriagado em moto de luxo atropela e mata dois operários

Vítimas trabalhavam no recapeamento da Radial Leste quando foram atingidas. Motociclista foi preso e indiciado por homicídio culposo 

  • São Paulo | Rafael Custódio, da Agência Record

José Teófilo dos Santos Filho, de 59 anos, e Gilvani Pereira dos Santos, de 43 anos, morreram após serem atropelados por um homem embriagado em uma moto de luxo na zona leste de São Paulo.

Leia mais: Candidatas mulheres têm 2,5 vezes menos chances de serem eleitas

O acidente aconteceu por volta das 2h da madrugada desta sexta-feira (2). Os dois operários trabalhavam em uma obra de recapeamento na Radial Leste, próximo à estação Carrão do Metrô, quando foram atingidos.

O suspeito José Eduardo do Santos Pinto, de 41 anos, foi preso em flagrante e indiciado por homicídio culposo. Após ser submetido ao teste do bafômetro, foi constatado que ele estava embriagado enquanto pilotava a moto. O veículo foi apreendido. Na tarde desta sexta, o TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) converteu a prisão para preventiva.

Veja também: Sindicato de policiais civis aciona a Justiça por reforma do 1º DP (Sé)

Depois do atropelamento, os operários foram socorridos e levados ao pronto socorro do Hospital Municipal do Tatuapé, por equipes do Corpo de Bombeiros, mas não resistiram aos ferimentos.

Moto de luxo foi usada por suspeito que atropelou dois operários na madrugada

Moto de luxo foi usada por suspeito que atropelou dois operários na madrugada

Reprodução / Record TV

Conduzido ao hospital, onde foi medicado por apresentar ferimentos leves, o suspeito foi levado para o 10º Distrito Policial da Penha, onde a ocorrência foi registrada.

Leia ainda: SP bate 37,1°C e volta a ter segundo dia mais quente da história

Os operários são funcionários da Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras. Gilvani estava na função há três meses, segundo a família, e deixa um filho de 7 anos. Já o José trabalhava há sete meses no emprego e tinha duas filhas. Familiares das vítimas cobram justiça.

Últimas