São Paulo Tios de menino resgatado de tonel vão lutar pela guarda do garoto

Tios de menino resgatado de tonel vão lutar pela guarda do garoto

'Não quero que ele fique longe, que ele vá para outro lugar. Ele tem família', disse Cristina, tia da criança de 11 anos

Menino foi encontrado acorrentado em tonel

Menino foi encontrado acorrentado em tonel

Reprodução/Record TV

Os tios do garoto de 11 anos encontrado acorrentado em um tonel em Campinas (SP) vão lutar pela guarda do sobrinho.

Em entrevista à reportagem da Record TV, César e Cristina Santos disseram que querem se responsabilizar pela criação do menino, encontrado com 25 kg – o peso de uma criança quatro anos mais nova – e estão prontos para recebê-lo em casa.

“[Queremos dar] tudo que ele não teve até agora: carinho, amor, liberdade para brincar, andar de bicicleta... nunca vi ele andando de bicicleta. Brincar como criança”, afirmou Cristina, a tia. “Não quero que ele fique longe, que ele vá para outro lugar. Ele tem família. Aconteceu esse episódio, mas a família não tem culpa, a família não sabia”, concluiu ela, chorando.

O menino foi abandonado com 18 dias de vida pela mãe biológica. A última vez ela havia visto o filho foi quando ele tinha três meses, e desde então foi criado pelo pai adotivo e pela madrasta, que se casou com o homem posteriormente.

Veja também: PM de Campinas arrecada doações para menino resgatado em tonel

César Santos, o tio, afirmou que, após descobrirem sobre o que estava acontecendo com o garoto, a “primeira coisa que a gente fez foi pegar ele lá, poder abraçar e dizer que ele vai ficar bem, que o pior já passou. De lá pra cá, é só palavra pra deixar ele bem, pra poder resgatar o que ele perdeu”.

Cristina, a tia, tem a guarda provisória do garoto, mas não ficará com ele neste momento, uma vez que o Conselho Tutelar informou que o menino irá a uma casa de abrigo até encontrar mais detalhes do caso.

Por enquanto, o menino segue internado sem previsão de alta, mas já se alimentou e ganhou peso desde a entrada no hospital.

“O que ele precisa agora é da família. De carinho e atenção da família. Vai ser confuso pra ele ir pra um lugar onde as pessoas sejam estranhas para ele”, afirmou César.

Últimas