Coronavírus

São Paulo Toque de recolher e exército: interior de SP endurece restrições

Toque de recolher e exército: interior de SP endurece restrições

Com quatro regiões do Estado na fase vermelha do Plano São Paulo, municípios entraram em lockdown na última semana

Resumindo a Notícia

  • Pandemia avançar em São Paulo no início do ano, principalmente em regiões do interior
  • Municípios decretaram lockdown e aumentaram restrições no comércio na última semana
  • Araraquara precisou do apoio do Exército Brasileiro para sanitização de pontos públicos
  • Cidade de Dracena instituiu toque de recolher e lockdown
Equipes realizam sanitização em Araraquara, que vive situação crítica

Equipes realizam sanitização em Araraquara, que vive situação crítica

Divulgação/Prefeitura de Araraquara

A pandemia de covid-19 voltou a avançar em São Paulo no início deste ano, sobretudo nas regiões do interior do Estado. A fim de barrar a alta de casos e mortes pelo novo coronavírus e a superlotação dos leitos de UTI, vários municípios decretaram lockdown e aumentaram restrições no comércio na última semana.

Araraquara viu seu sistema de saúde entrar em colapso após atingir, no último dia 16, 100% de ocupação dos leitos de UTI e enfermaria. Além disso, foi ali onde se registrou o maior número de casos de novas variantes do vírus em São Paulo. Para frear este avanço, no domingo (21) a cidade entrou em lockdown, estado no qual permanecerá até o próximo sábado (27).

A situação na região fez com que, desde terça-feira (23) e até domingo (28), o município tivesse de receber auxílio da uma unidade do Exército Brasileiro com sede em Pirassununga. As equipes do Exército realizam procedimento interno de sanitização em vários locais públicos da cidade, como UPAs, hospitais e terminais de transporte.

Em Campinas o estado também é crítico: nas últimas duas semanas, o município oscilou entre níveis acima dos 90% de ocupação dos leitos da rede pública de saúde, chegando a ter todas as vagas de UTI ocupadas no último domingo. O prefeito Dario Saadi (Republicanos) publicou nesta terça-feira (23) um decreto que devolve a cidade à fase vermelha do Plano São Paulo, fechando o comércio por uma semana e mantendo apenas as atividades essenciais. Pelo governo de São Paulo, a cidade se encontraria na fase amarela neste momento.

A cidade de Presidente Prudente se encontra na fase vermelha do Plano SP, e teve de suspender as aulas presenciais da rede municipal e estadual de educação.

Outro município que está na fase mais restritiva do plano é Barretos, que, segundo o Governo do Estado, sentiu em seu sistema de saúde o impacto da situação de colapso vivida em Araraquara, cujas regiões são vizinhas.

Em Bauru, também na fase vermelha, a região sofreu com hospitais lotados nas últimas semanas. Entretanto, apesar disso a Câmara dos Vereadores local aprovou uma lei que torna bares serviços essenciais na cidade. A decisão não foi bem recebida pelo governo paulista.

A cidade de Dracena também manterá o lockdown, com toque de recolher das 20h às 6h. O comércio (varejista e atacadista) funcionará das 8h às 18h por delivery e drive thru, enquanto supermercados só poderão receber uma pessoa por família das 7h30 às 19h. Em bares e restaurantes, o funcionamento se dará até as 20h por drive thru e das 20h às 22h por delivery – e bebidas alcóolicas serão vendidas das 6h às 19h. Postos de gasolina funcionarão até as 20h para a população e 22h para órgãos públicos.

Na mais recente reclassificação do Plano São Paulo, na sexta-feira (19), o município de Franca regrediu da fase amarela para a laranja, com mais restrições no comércio local e funcionamento por até oito horas a cada dia, com atendimento presencial limitado a 40% da capacidade.

Últimas