São Paulo Transexual é achada morta com sinais de espancamento em SP

Transexual é achada morta com sinais de espancamento em SP

Vítima, de 35 anos, teria sido alvo de pauladas em hotel da zona norte

  • São Paulo | Stéphanie Nascimento, da Agência Record, e Lucas Izidorio, do R7*

Larissa Paiva, 35, foi morta a pauladas em hotel da zona norte

Larissa Paiva, 35, foi morta a pauladas em hotel da zona norte

Reprodução

Uma transexual foi morta, supostamente a pauladas, na madrugada deste domingo (17), no Hotel Sombra, em Santana, zona norte da capital paulista. A vítima, segundo a PM (Polícia Militar), é Larissa Paiva, de 35 anos.

De acordo com a PM, Corpo de Bombeiros foi chamado, por volta das 7h, e localizou o corpo de Larissa na garagem do hotel. 

Neta de criação de Larissa, Marilia confirmou à reportagem do R7 se tratar de Larissa e disse que soube da morte às 10h30. A jovem disse não ter pistas do autor ou do motivo do assassinato de Larissa .

Agripino Magalhães, ativista LGBT, disse que viu Larissa apenas duas vezes e que a família dela está arrasada com a notícia.

"Ela era uma pessoa muito boa, sem parentes em São Paulo. Infelizmente, mais uma transexual morta a pauladas", explicou.

Quando soube da morte de Larissa, Agripino estava chegando na cidade e disse que, por volta das 15h, passou na frente do hotel e o corpo ainda se encontrava lá.

Natural de Tucuruí, cidade que fica a 456 km de Belém, no Pará, Larissa morava em São Paulo desde 2010.

*Sob a supervisão de Raphael Hakime.

Últimas