Transexual é ferida a facadas em tentativa de assalto em SP

Após programa, homem obrigou a vítima a entregar o dinheiro e houve luta corporal. Thamires foi golpeada duas vezes e atendida em hospital

Thamires foi golpeada duas vezes

Thamires foi golpeada duas vezes

Reprodução / Record TV

Uma transexual, de prenome Thamires, ficou ferida após sofrer uma tentativa de assalto na rua Doutor Edgard Theotonio Santana, na Barra Funda, zona oeste de São Paulo, na madrugada desta quinta-feira (30).

Leia mais: Logística e sofisticação fazem polícia de Botucatu atribuir ataque a PCC

De acordo com a vítima, ela chegou no endereço citado por volta das 22h desta quarta-feira (29), local onde costuma trabalhar. Por volta das 0h30, um homem, ainda não identificado, a abordou e perguntou o preço do programa. Em seguida, ele foi embora dizendo que iria pensar.

Segundo Thamires, ela já estava observando o carro do agressor há algum tempo, um Citroen C4, na cor preta, visto que, por conta da chuva, não havia muitos veículos na rua.

Veja também: Polícia faz megaoperação em São Paulo contra o tribunal do crime

Algum tempo depois o homem voltou e a levou para um drive-in. Após terminar o programa, foram até o endereço inicial, onde Thamires receberia o dinheiro.

Com o pagamento em mãos, a vítima percebeu que o homem estava observando onde ela iria guardar o dinheiro. Em seguida, o agressor apontou uma faca para Thamires e anunciou o assalto.

A vítima entregou uma pequena bolsa, onde havia cerca de R$ 340. O homem ainda pediu a outra bolsa da mulher, mas ela não entregou porque dentro estavam documentos.

Leia ainda: Vice-prefeito de Arujá (SP) é preso suspeito de desvio de dinheiro

Em seguida, Thamires relatou que conseguiu descer do carro, mas foi perseguida e agredida pelo homem. Já na rua, os dois começaram a brigar com socos e chutes, até que a vítima foi atingida por uma faca no pescoço e embaixo do braço.

Assim que o agressor foi embora, uma amiga de Thamires chamou um carro por aplicativo e a levou até o Pronto Socorro de Santana, onde ela levou cinco pontos no pescoço. De acordo com a vítima, o corte foi pequeno mas profundo, por isso o sangramento. Ela ainda relata dores no rosto após as agressões sofridas.

Depois de sair do hospital, por volta das 5h, a vítima foi até a delegacia, mas ainda tenta registrar o boletim de ocorrência.