São Paulo Trânsito por causa de viaduto faz paulistano ocupar ciclovias

Trânsito por causa de viaduto faz paulistano ocupar ciclovias

Até motorista profissional passou a usar a bike depois do trânsito na avenida Faria Lima aumentar após desvios por conta de viaduto que cedeu

biaduto, bicicleta, mobilidade, bike

7.725 bicicletas passaram pela ciclovia da Faria Lima nesta segunda-feira (26)

7.725 bicicletas passaram pela ciclovia da Faria Lima nesta segunda-feira (26)

Edu Garcia/R7

Em uma das principais avenidas de São Paulo um homem grita para o outro: "Tá maluco? Vai passar pela contramão?" O que podia ser mais uma discussão de trânsito era, na verdade, gritos de um ciclista para outro na ciclovia que corta a avenida Faria Lima, em Pinheiros, zona oeste de São Paulo.

Leia mais: Prefeitura estima gastar R$ 300 mil para vistoriar viadutos

O fluxo de bicicletas cresceu na região depois que a avenida virou uma das principais rotas alternativas indicadas pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) após um viaduto ceder e provocar o fechamento de parte da marginal Pinheiros, uma das principais vias da cidade.

Ana Carolina trocou o tempo de trânsito no ônibus pela bicicleta

Ana Carolina trocou o tempo de trânsito no ônibus pela bicicleta

Edu Garcia/R7

"De bicicleta eu faço em 30 minutos um percurso que estava levando mais de 1 hora depois da queda do viaduto", diz a analista de suporte Ana Carolina.

Leia mais: PM orienta motoristas em vias perto de viaduto que cedeu

Ana mora em Pirituba e antes de optar pela bicicleta, fazia de ônibus o trajeto entre a Vila Olímpia e a estação Pinheiros da linha 9-Esmeralda da CPTM.

Segundo dados do contador de bicicletas instalado na avenida, o número nesta última segunda-feira (26) cresceu 22,5% em relação ao mesmo dia da semana antes do acidente com o viaduto, a segunda-feira de 5 de novembro.

Um contador registra o número de bicicletas que passam pela ciclovia

Um contador registra o número de bicicletas que passam pela ciclovia

Edu Garcia/R7

Para os motoristas que passam pela avenida Faria Lima, o aumento do tráfego que sempre tinha um fluxo intenso, principalmente no horário de pico, virou um pesadelo. 

"Isso aqui está um inferno! Na última semana passei a demorar mais de 1 hora para um percurso que fazia em 30 minutos", diz a motorista e gerente financeira Renata Ribeiro Santana, enquanto aguardava em seu carro o congestionamento fluir.

Há também quem passou a recorrer a um aplicativo de transporte por bicicletas para fugir do trânsito e aproveitar para fazer outras tarefas enquanto um ciclista profissional conduz a bike, que é adaptada para levar um passageiro de maneira confortável.

"Ganhei meia hora na minha vida e a felicidade é quase absoluta", diz a jornalista Silvia Bassi, que aderiu e aprovou o sistema.

Givanilson é motorista profissional e usa a bike para driblar o trânsito

Givanilson é motorista profissional e usa a bike para driblar o trânsito

Edu Garcia/R7

Quem trabalha o dia inteiro dirigindo um veículo também encontrou na bicicleta a solução para fugir do trânsito na região e chegar mais cedo em casa.

Givanilson Vicente é motorista profissional e depois de deixar o carro do patrão na garagem, passou a ir para a casa entre a região dos jardins e a estação de metrô Pinheiros, da linha 4-Amarela, de bike.

"O trânsito aumentou muito depois dos desvios para o viaduto virem aqui para a região, então decidi usar mais a bike, que usava antes só de vez em quando", disse Givanilson, com pressa para seguir sua viagem.