São Paulo “Transportamos de ônibus um Uruguai por dia em São Paulo”, diz Haddad

“Transportamos de ônibus um Uruguai por dia em São Paulo”, diz Haddad

Prefeito de São Paulo revela planos para o transporte público em evento na zona oeste

“Transportamos de ônibus um Uruguai por dia em São Paulo”, diz Haddad

Prefeito falou sobre situação do transporte em São Paulo

Prefeito falou sobre situação do transporte em São Paulo

Thiago de Araújo/R7

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, disse nesta quarta-feira (7) que a capital paulista transporta diariamente de ônibus “um Uruguai por 15 quilômetros”, o que corresponde a mais de três milhões de pessoas. A afirmação foi feita durante um evento a empresários realizado pela Abdib (Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base) no Butantã, zona oeste da cidade.

Na opinião de Haddad, é preciso fugir da ideia de que apenas investimento de transporte público poderá resolver o problema da mobilidade urbana em São Paulo. O prefeito defende um modelo que pregue o crescimento da capital de maneira descentralizada, ao longo das grandes vias espalhadas pelas diferentes regiões da cidade.

— Hoje transportamos um Uruguai por dia em 15 quilômetros de distância. Então não há possibilidade disso dar certo, não terá transporte público suficiente para transportar três milhões de pessoas, da zona sul e da zona leste, por 15 quilômetros. O restante da população mora mais perto (do trabalho), mas se não tiver a descentralização, uma cidade policêntrica do ponto de vista de oportunidades de emprego, você não vai equilibrar a cidade no que diz respeito aos seus fluxos de riqueza, renda, oportunidades, etc.

Leia mais notícias de São Paulo

O prefeito de São Paulo explicou que a gestão já licitou em oito meses mais de R$ 100 milhões voltados ao transporte público. De acordo com Haddad, o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, pretende terminar os "projetos para 220 quilômetros de corredores de ônibus" (na verdade seriam para faixas exclusivas) até o dia 15 deste mês, tendo até lá licitado metade disso. Os recursos para a execução das obras virá dos R$ 50 bilhões que a presidente Dilma Rousseff prometeu para a melhora do transporte público pelo País.

Mais Metrô e corredores são a solução, diz secretário

Além de otimizar o crescimento, criando diversos polos pela capital, a Prefeitura acredita que a mobilidade urbana também passa pelo aumento da malha ferroviária e dos corredores de ônibus. Jilmar Tatto afirmou nesta quarta-feira que São Paulo carece de mais quilômetros de Metrô, “que é ele sim transporte de massa”. Somados aos ônibus, tidos como “auxiliares” pelo secretário da pasta, a cidade já pode projetar um futuro melhor para a população.

De acordo com Tatto, a gestão Haddad pretende entregar a promessa de 150 quilômetros de novos corredores de ônibus até 2016. Somados aos 130 quilômetros já existentes, a cidade chegaria a 280 quilômetros. Contudo, segundo dados do governo municipal, faltariam mais 180 para atingir o número “mágico” de 460 quilômetros, considerado ideal para organizar o transporte da cidade.