Transporte público fica lotado mesmo com rodízio mais leve em SP

Tradicional modelo de rodízio de veículos entrou em vigor nesta segunda-feira (18). Estações da CPTM e do Metrô registram intenso fluxo de passageiros

Movimentação de pessoas em plataforma da estação Luz da CPTM em São Paulo

Movimentação de pessoas em plataforma da estação Luz da CPTM em São Paulo

BRUNO ROCHA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO (18.05.2020)

Mesmo com o rodízio de veículo afrouxado na cidade de São Paulo, estações de metrô e trem amanheceram lotadas nesta segunda-feira (18). A estação da Luz, na região central de São Paulo, registrou intensa movimentação de passageiros.

O anúncio do fim do novo rodízio foi feito neste domingo (17) pelo prefeito Bruno Covas (PSDB), uma semana após entrar em vigor. Até ontem estava valendo o modelo de rodízio de 24h para conter a pandemia do novo coronavirus em São Paulo, que é o epicentro da doença covid-19 no país.

Estação Luz da CPTM lotada mesmo com rodízio mais leve em SP

Estação Luz da CPTM lotada mesmo com rodízio mais leve em SP

BRUNO ROCHA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO (18.05.2020)

Segundo o prefeito, a restrição de circulação de metade dos carros da cidade não foi eficiente para aumentar o índice de isolamento social que atingiu 50% no sábado (16), medido pelo sistema de monitoramento inteligente do governo. A taxa ainda está abaixo da mínima ideal de 55% estimada pelas autoridades de saúde.

Após o anúncio do fim do rodízio ampliado a prefeitura decidiu manter o reforço da frota com os 1.600 ônibus colocados em circulação desde o dia 11. Segundo a SPTrans (São Paulo Transporte), são 8.394 ônibus rodando na capital, o que representa 65,5% da frota para um dia útil.

Leia também: SP não terá aumento em tarifas de transporte público, diz secretaria

"Antes de pensarmos em abrir, precisamos parar. Mas é preciso dizer que a Prefeitura sozinha não tem todos os principais instrumentos para fechar totalmente a cidade. Nossa competência institucional em segurança é muito limitada. Não há no mundo caso de autoridade pública sem poder de polícia, sem segurança pública que consiga implantar um lockdown”, disse o prefeito Bruno Covas.

Leia mais: Apesar do fim do rodízio ampliado, frota de ônibus circula com reforço

"A capital não é uma ilha como a Nova Zelândia. Não somos isolados do mundo. Nossa região metropolitana é interdependente e nossas ruas se misturam. São 1.746 ruas que começam numa cidade e terminam em outra. Não há divisas. Temos que organizar isso juntos", afirmou o prefeito.

Transporte público fica cheio e ruas lotadas com rodízio tradicional. Veja fotos