Coronavírus

São Paulo "Vacinação em SP é porta aberta", afirma secretário da Saúde 

"Vacinação em SP é porta aberta", afirma secretário da Saúde 

Segundo Edson Aparecido, não haverá critérios diferentes na cidade e serão 3 mil postos de imunização, sendo mil fixos

Cidade de São Paulo comprou 15 milhões de seringas e agulhas para vacinação

Cidade de São Paulo comprou 15 milhões de seringas e agulhas para vacinação

Stephane Mahe/Reuters - 14.01.2021

O secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, afirmou nesta quinta-feira (14) que a cidade de São Paulo está preparada para dar início à vacinação contra o novo coronavírus. A prefeitura já comprou, com verba extra, 15 milhões de seringas e agulhas.

"Nessa primeira etapa, serão imunizados profissionais de saúde, idosos e a população indígena. Faremos também no esquema drive-thru e, em instituições de longa permanência, os profissionais vão até os idosos. Mas a vacinação é porta aberta, não vai ter ordem alfabética, quem se enquadrar nos critérios, pode ir até um posto. Colocar outros critérios para vacinação, ao invés de evitar aglomeração, pode sim causar aglomeração", explica o secretário.

O transporte logístico das doses já está definido e será feito com o uso de carros e caminhões refrigerados de uma empresa contratada.

No total, a capital terá 27 mil pessoas capacitadas para trabalhar na campanha de imunização, sendo 15 mil profissionais da saúde e outros 12 mil auxiliares.

Além dos mil postos fixos (unidades de saúde), a prefeitura garante que haverão outros dois mil satélites, todos georreferenciados, que vão responder à pasta da Saúde. A localização deles, no entanto, depende da quantidade de vacinas recebidas.

A Prefeitura de São Paulo prometeu dar, em breve, mais detalhes sobre a logística da vacinação.

Últimas