São Paulo 'Vazamento seletivo', diz defesa de jovem que acusa senador de estupro

'Vazamento seletivo', diz defesa de jovem que acusa senador de estupro

Advogado Jair Jaloreto informa que cliente está "profundamente abalada" com todo o ocorrido. Parlamentar nega as acusações

  • São Paulo | Carolina Lopes e Jennifer Nascimento, da Agência Record

Na imagem, senador Irajá Silvestre (PSD-TO)

Na imagem, senador Irajá Silvestre (PSD-TO)

Jane de Araújo/Agência Senado - 12.02.2020

O advogado Jair Jaloreto, que representa a jovem de 22 anos que acusa o senador Irajá Silvestre (PSD-TO) de estupro, expressou em nota divulgada neste último sábado (28) estar indignado com o "vazamento seletivo de imagens que fazem parte de um procedimento investigatório, que tramita em absoluto sigilo".

As imagens que o advogado cita foram registradas pelas câmeras de segurança da casa noturna e do flat, lugares na capital paulista em que a jovem se encontrou com o senador, segundo o boletim de ocorrência. A defesa de Silvestre afirmou, também em nota, que o vídeo contradiz a versão da vítima.

Leia mais: Com maior número em sete anos, SP registra estupro a cada 42 minutos

"Quanto ao teor das imagens, entendemos imprudente fazer qualquer juízo de valor a seu respeito antes da conclusão das investigações, pois tais filmagens (bem como outras provas, ainda não divulgadas pela imprensa) serão objeto de perícia", acrescentou.

Jaloreto disse ainda que a jovem está "profundamente abalada" e que não se pronunciará sobre o assunto, tampouco concederá entrevista a qualquer veículo de imprensa. "Outrossim, permanecemos confiando no trabalho da Polícia Civil do Estado de São Paulo, certos de que ao final a Verdade e a Justiça prevalecerão", finaliza.

Caso
O senador é suspeito de estuprar uma jovem de 22 anos num flat em um bairro nobre da cidade de São Paulo (SP). A suspeita contra o senador, filho da também senadora Kátia Abreu (PP-TO), consta de um boletim de ocorrência registrado na madrugada desta segunda-feira (23) pela jovem no 14º Distrito Policial (Pinheiros). O parlamentar nega as acusações.

Últimas