São Paulo Veículos fazem carreata contra aulas presenciais na zona oeste

Veículos fazem carreata contra aulas presenciais na zona oeste

Funcionários do Sindsep afirmam que recesso de 15 dias não é suficiente e pedem vacinação de professores e funcionários

  • São Paulo | Rodrigo Martinez, da Agência Record

Veículos fazem carreata contra retorno das aulas presenciais em São Paulo

Veículos fazem carreata contra retorno das aulas presenciais em São Paulo

Reprodução

Cerca de 30 veículos fazem uma carreata em protesto contra o retorno das aulas presenciais em São Paulo. A manifestação ocorrre na Praça Charles Miller, no Pacaembu, na zona oeste da capital paulita e começou às 11h20 desta terça-feira (16).

Os manifestantes informaram que estão se locomovendo em direção à sede da Prefeitura de São Paulo, no Viaduto do Chá, na região central da cidade, onde ficarão concentrados. De acordo com a Polícia Militar, o ato está pacífico e possui um carro de som.

De acordo com funcionários do Sindsep (Sindicato dos Servidores Municipais de São Paulo), a carreata é uma forma de protesto contra o retorno das aulas presenciais. Segundo a categoria, o recesso de 15 dias estabelecido pelo governo não é suficiente, assim como as medidas impostas aos funcionários da educação durante a pandemia do novo coronavírus.

A categoria exige ainda a vacinação de professores e outros funcionários da educação. O Sindsep e o Fórum das Entidades compreendem que não há atendimento às reivindicações do movimento grevista de trabalhadores da educação, iniciado em 10 de fevereiro.

Dessa forma, a entidade afirma que "não há motivos para se discutir a suspensão da greve, especialmente porque gestores, quadros de apoio e analistas dos CEUs equivocadamente, permanecerão em trabalho presencial".

Para o Sindsep, a antecipação do recesso é "um reconhecimento da atitude irresponsável de reabertura para atividades presenciais nas unidades educacionais durante a pandemia e uma tentativa de desmobilizar o movimento grevista que luta pela preservação da vida diante das ações políticas da administração que colaboram diretamente para ampliação do surto de Covid-19."

Últimas