Vídeo mostra PM agredindo motoboy algemado na periferia

Secretaria de Segurança Pública disse que  vai analisar imagens para apurar o caso, que aconteceu na região do Grajaú, zona sul de São Paulo

Morador da rua gravou a agressão
 dos policiais militares

Morador da rua gravou a agressão dos policiais militares

Arquivo Pessoal

Imagens obtidas pelo R7 mostram policiais militares do 50° Batalhão da PM agredindo um motoboy já algemado, apontando arma em direção ao rosto dele e jogando a motocicleta pertencente a ele no chão, após uma abordagem no Jardim Três Corações, região do Grajaú (zona sul de São Paulo), na noite da última sexta-feira (22).

Leia mais: PMs em serviço ultrapassam marca de 500 mortos em nove meses

No vídeo, gravado por um morador da rua onde aconteceu parte da agressão, pelo menos cinco policiais aparecem na ação. Dois estão em outra rua, dando cobertura aos outros três PMs.

Próximo da vítima, um policial militar tenta ligar a motocicleta e, ao não conseguir, joga no chão. Outro PM dá pelo menos um tapa no homem e o pressiona no chão. O terceiro militar se aproxima da vítima, destrava a pistola e aponta para o rosto da vítima de violência policial.

De acordo com uma testemunha, antes do início da gravação do vídeo, os policiais militares atiraram duas vezes, mas ninguém foi atingido. Em seguida, chegaram diversas viaturas da Força Tática e da Rocam (Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicleta) no local.

Ainda conforme testemunhas, a abordagem e agressões começaram porque o homem, que trabalha como entregador de pizzas, estava andando com a motocicleta pelo bairro sem capacete e não portava a habilitação no momento.

A reportagem enviou o vídeo e as informações para o comando da Polícia Militar e para a SPP-SP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo), e questionou se a ação da PM foi correta, onde o caso foi registrado e qual teria sido a infração supostamente cometida pela vítima.

A pasta, no entanto, se limitou a dizer, por meio de nota, que “vai apurar os fatos e analisar as imagens”. Disse ainda que “as informações foram enviadas ao batalhão da área”.