São Paulo Vídeo pode ajudar a esclarecer assassinato do Rei do Morango, no interior de São Paulo

Vídeo pode ajudar a esclarecer assassinato do Rei do Morango, no interior de São Paulo

Nas imagens, rapaz confessa crime; mulher do agricultor foi denunciada, apesar de negar

Vídeo pode ajudar a esclarecer assassinato do Rei do Morango, no interior de São Paulo

Elcio (foto) foi morto a tiros em 2010 na casa onde morava

Elcio (foto) foi morto a tiros em 2010 na casa onde morava

Reprodução/Rede Record

Imagens feitas com uma câmera escondida podem revelar as circunstâncias da morte de Elcio Spinassi, um agricultor milionário do interior de São Paulo, conhecido como Rei do Morango. Um rapaz aparece no vídeo e diz que ele mesmo cometeu o crime, em março de 2010, na cidade de Jarinu.

A pessoa que diz ter cometido o crime é Diego Barbosa Ferreira, conhecido como Carpa. Logo que o agricultor foi morto, ele chegou a ser suspeito do crime até foi preso, mas foi liberado, poucos dias depois, por falta de provas contra ele.

O Rei do Morango foi morto a tiros dentro do carro, quando se preparava para sair de casa. Com a libertação do rapaz, a mulher de Elcio, Samara, passou a ser a principal suspeita. Ela presenciou o assassinato e reconheceu Diego.

Em um vídeo, obtido com exclusividade pelo Domingo Espetacular, Diego é abordado por uma pessoa, com uma câmera escondida, que se aproximou dele com o objetivo de ajudar a viúva a comprovar a suposta inocência.

Leia mais notícias de São Paulo

Na conversa, o rapaz conta detalhes de como teria matado o Rei do Morango. Ele explica que invadiu a casa onde a vítima morava, com outros dois comparsas.

— Dois moleques “veio” da frente eu ia tomar pelo fundo, né. Ele ia sair para fazer pagamento.

Ele também admite que o objetivo da invasão da casa era roubar o agricultor.

— A gente foi pra roubar o dinheiro. Não fomos pra matar, cara.

Diego falou dando risadas sobre como teria assassinado Elcio. Segundo ele, a vítima esboçou uma reação. Na gravação o rapaz ainda diz que fez um único disparo e até mostra a posição que o homem teria ficado no banco do motorista.

Os três teriam levado uma maleta de dinheiro que o Rei do Morango tinha. Mas, de acordo com o rapaz, os R$ 50 mil roubados, foram gastos com advogados, quando ele foi preso.

O Instituto Brasileiro de Peritos avaliou o vídeo e comparou com uma reportagem em que Diego aparece, exibida há três meses. Foi confirmado que realmente é ele, segundo a perita e fonoaudióloga, Aline Cristina Pacheco.

— Pelas características semelhantes a gente percebe que é a mesma pessoa.

Os peritos também concluíram que o vídeo não tem montagem, de acordo com o diretor do instituto, Giuliano Giova.

— O exame demonstrou que não ha presentes sinais de edição. Não constatamos sinais de edição. Ele parece ser autentico.

Viúva

O Domingo Espetacular levou as imagens para Samara Costa, viúva do Rei do Morango. Ela é apontada pela polícia como principal suspeita do assassinato. A acusação é baseada no fato de que, no dia do crime, os dois estariam sozinhos na casa e que Samara queria ficar com a fortuna do marido.

Eu estou chocada porque são três anos que as pessoas, que eu passo na rua e as pessoas me apontam. Eu sempre neguei. Eu sempre falei que eu não tinha feito isso com ele. Escutei muitas acusações e eu tinha certeza absoluta que um dia a verdade ia aparecer.

Apesar disso, Samara foi denunciada pelo Ministério Público por homicídio duplamente qualificado, fraude processual, porque teria mudado a cena do crime, e denunciação caluniosa, porque teria mentido ao reconhecer Diego como autor do crime. No vídeo, o rapaz ainda admite que a mulher está em problemas por causa do crime.

Reviravolta

A confissão de Diego pode provocar uma reviravolta no processo e em um momento bastante oportuno para a defesa. Na terça-feira (7) está marcada uma audiência de instrução no Fórum de Jarinu. Defesa, acusação e várias testemunhas serão ouvidas para que o juiz possa decidir se Samara Costa vai a júri popular. A defesa vai anexar o vídeo ao processo. 

Assista ao vídeo: