Novo Coronavírus

São Paulo Vila Madalena tem noite calma no 1º dia de restrição em São Paulo

Vila Madalena tem noite calma no 1º dia de restrição em São Paulo

Com bares fechando às 22h e medidas mais rígidas passando a entrar em vigor às 23h, região boêmia ficou vazia nesta madrugada

Agência Estado
Ruas da Vila Madalena, na zona oeste de São Paulo, tiveram uma sexta-feira de atípica calmaria

Ruas da Vila Madalena, na zona oeste de São Paulo, tiveram uma sexta-feira de atípica calmaria

Ronaldo Silva/Futura Press/Folhapress - 02.01.2021

As ruas boêmias da Vila Madalena, na zona oeste de São Paulo, tiveram uma sexta-feira de atípica calmaria, até para os padrões do período da pandemia. Com bares fechando às 22h e um novo "toque de restrição" passando a entrar em vigor às 23h, as vias da região ficaram vazias.

O toque de restrição é uma medida adotada pelo governo do Estado com objetivo de reduzir a circulação de pessoas à noite e na madrugada com intenção de frear o avanço da covid-19. A medida teve o primeiro dia de vigência nesta sexta-feira (26).

A chuva que caiu ao longo do dia na cidade também ajudou a afastar os frequentadores da Vila Madalena. Os bares estavam abertos para um público pequeno antes mesmo dos horários estabelecidos como limite para funcionamento de estabelecimentos e circulação de pessoas.

Por volta das 21h, não havia ninguém no restaurante de culinária Indonésia Ada Makan, na Rua Aspicuelta. O proprietário do lugar, Luck Vilela, de 32 anos, disse só três mesas foram ocupadas durante toda a noite. "Perdemos todo o movimento. À noite, quando a região é conhecida pelo seu movimento, estamos parados", lamentou, destacando que mantém atividades de delivery. Vilela disse que torce pela melhora da situação da pandemia com a aceleração da vacinação.

O famoso cruzamento das ruas Aspicuelta e Mourato Coelho, conhecido pela concentração de bares e restaurantes, também atraiu poucos frequentadores nesta noite. O arquiteto Cláudio Peixoto, de 57 anos, era um deles. Ele protestou contra a lógica da medida do toque de restrição e fechamento de bares. "O vírus não tem relógio. Fechar em determinado horário é hipocrisia. Ou fecha tudo, como na Europa, ou abre tudo", disse ele, contando já ter tido a covid-19 e reclamando da postura do presidente Jair Bolsonaro. "Votei nele. Mas como ele vem dizer que isso é uma gripezinha?"

Dez minutos antes das 23h, a região já tinha ruas ainda mais esvaziadas. Carros de polícia circularam pelo local, mas com o fechamento dos estabelecimentos no limite previsto, não efetuaram nenhuma autuação visível. O toque de restrição vale para todo o Estado entre 23h e 5h e deve se estender até o dia 14 de março, na previsão inicial do governo.

Últimas