Vizinhos de prédio que desabou são autorizados a retirar pertences

Defesa Civil autorizou a entrada dos moradores. Prédios vão ficar interditados por tempo indeterminado

Moradores entram em prédios para retirar pertences

Moradores entram em prédios para retirar pertences

Thaís Skodowski/ R7 01.05.2017

Os moradores da rua Antonio de Godoi, que teve todos os prédios evacuados, foram autorizados a entrar em seus apartamentos para retirar seus pertences.

MP reabre inquérito que apurava riscos de prédio que desabou

Um fila foi organizada para a entrada em grupos. Eles usam máscaras e vão em busca de documentos e roupas, muitos saem com malas. Os moradores disseram que saíram correndo do prédio por volta de 1h30 e ficaram até às 6h na rua esperando o que podia acontecer.

Moradores pagavam até R$ 400 para viver em prédio que ruiu

A inderdição nos prédios da rua Antonio de Godoi, por causa do incêndio que resultou no desabamento do edifício que já foi sede da Polícia Federal e também foi usado pelo INSS, é por tempo indeterminado, segundo informações da Defesa Civil.

Todos os prédios da rua Antonio de Godoi foram evacuados e só agora os moradores estão sendo autorizados a entrar em casa. Vidraças do prédio em frente ao edifício que pegou fogo ainda estão caindo.

Nos arredores da rua Antonio de Godoi, tanto no Largo do Paissandu como na avenida Santa Ifigênia, o cheiro de fumaça ainda é muito forte.

O porta voz do corpo de bombeiros, capitão Marcos Palumbo, declarou que o trabalho de sua equipe no incêndio que derrubou um prédio no centro de São Paulo nesta madrugada se baseia em um desaparecido. Ele seria o homem que por poucos segundos não foi resgatado pelos oficiais.

O capitão ainda afirmou que não trabalha com o número divulgado pelos próprios moradores de 45 pessoas desaparecidas. Ele ainda disse que o registro do número de pessoas fica muito difícil já que havia ocupação, também, no segundo subsolo do edifício.