Novo Coronavírus

São Paulo 'Xepas da vacina' em SP priorizam idosos e profissionais de saúde

'Xepas da vacina' em SP priorizam idosos e profissionais de saúde

Ao final de cada dia, UBSs distribuem imunizantes que sobraram para evitar desperdício. Segundas doses estão garantidas

  • São Paulo | Do R7

Idosos e profissionais da saúde são prioridade em 'xepas' da vacina

Idosos e profissionais da saúde são prioridade em 'xepas' da vacina

Danilo Verpa/Folhapress - 18.01.2021

A Prefeitura de São Paulo está vacinando pessoas fora das listas diárias de imunização contra a covid-19 com as sobras dos frascos do fim de cada expediente para evitar o desperdício de doses. No procedimento com as chamadas ‘xepas da vacina’, a gestão municipal está orientando a UBSs (Unidades Básicas de Saúde) a priorizarem os idosos acima de 60 anos e os profissionais de saúde que morem na abrangência da unidade.

A iniciativa ocorreu porque, como cada frasco da vacina contém dez doses, e elas estragam em oito horas no caso da CoronaVac e seis horas para a AstraZêneca, ao fim do dia há doses de um mesmo frasco que podem sobrar e ser desperdiçadas.

A fim de organizar a imunização com estas doses excedentes, a prefeitura exige que a unidade de saúde mantenha a lista de espera com os usuários elegíveis em seu território com telefones para serem convocados à vacinação. A população também pode procurar a UBS mais próxima de sua residência e deixar seus dados pessoais.

A medida segue as diretrizes do instrutivo da Covisa (Coordenadoria de Vigilância em Saúde) para que não haja desperdício de doses quando houver frasco de vacina aberto no fim do expediente.

Mesmo que os imunizados nas chamadas ‘xepas’ não façam parte de grupos prioritários na imunização, a prefeitura garante que todos que foram vacinados receberão a segunda dose normalmente.

A prefeitura disponibiliza mais detalhes a respeito da imunização contra o novo coronavírus neste link.

Quem está sendo vacinado nesta etapa

Na atual etapa da campanha de imunização contra a covid-19 em São Paulo, estão sendo vacinados os seguintes grupos:

- pessoas com 60 anos  ou mais residentes em instituições de longa permanência (institucionalizadas);

- pessoas a partir de 18 anos de idade com deficiência, residentes em Residências Inclusivas (institucionalizadas);

- população indígena vivendo em terras indígenas;

- quilombolas (previsto no PNI, mas não há comunidades quilombolas no município de São Paulo);

- idosos (com mais de 85 anos - a partir de 11/02/2021);

-  pessoas em situação de rua (com mais de 60 anos a partir de 12/02/2021);

-  trabalhadores da saúde (conferir os grupos de acordo com instrutivos do Vacina Sampa);

-  profissionais sepultadores, veloristas, cremadores e condutores de veículos dos cemitérios públicos e privados do município de São Paulo.

Além deste público, os profissionais de saúde da linha de frente, idosos que vivem nas ILPIS, pessoas com deficiências que vivem em instituições sociais e indígenas aldeados da capital já estão recebendo a segunda dose do imunizante. Estes grupos foram vacinados na etapa da campanha iniciada em 19 de janeiro.

Últimas