Novo Coronavírus

Saúde Agência europeia reforça segurança de vacina Oxford/AstraZeneca

Agência europeia reforça segurança de vacina Oxford/AstraZeneca

Manifestação ocorre após diversos países do bloco suspenderem uso do imunizante sob suspeita de formação de coágulos

  • Saúde | Do R7, com AFP

Vacina não tem relação com formação de coágulos, garante fabricante e órgãos internacionais

Vacina não tem relação com formação de coágulos, garante fabricante e órgãos internacionais

Fabian Bimmer/Reuters - 5.3.2021

A EMA (Agência Europeia de Medicamentos) reforçou nesta quinta-feira (18) a segurança e a eficáica da vacina contra covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford e pela farmacêutica AstraZeneca. 

O comunicado vem como forma de tranquilizar governantes e a população do bloco após a suspensão do uso do imunizante em alguns países.

A medida foi tomada por autoridades locais depois que surgiram alguns casos de formação de coágulos em pessoas que haviam sido vacinadas com o produto.

A AstraZeneca, no entanto, nega relação com a vacina e diz que a incidência dos eventos foi até menor em quem tomou a vacina do que na população em geral. 

Mais cedo, a MHRA (Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos para a Saúde) também afirmou não ter encontrado qualquer relação entre a vacina de Oxford e também da Pfizer com casos de trombose

"Nossa revisão minuciosa, ao lado da avaliação de importantes cientista independentes, mostra que não há evidências de que os coágulos de sangue nas veias aconteçam mais do que seria esperado na ausência de vacinação, para nenhum dos imunizantes", afirmou a diretora-executiva da MHRA, June Raine.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) já havia reforçado que era precipitada a decisão de governantes de suspender o uso, principalmente porque a União Europeia enfrenta uma escassez de vacinas e países veem seus programas de imunização patinando. 

Últimas