Novo Coronavírus

Saúde Agência russa diz que Sputnik V é eficaz contra cepa britânica

Agência russa diz que Sputnik V é eficaz contra cepa britânica

EpiVacCorona, segunda vacina produzida na Rússia, também combate variação. Agência não falou número de pessoas analisadas  

  • Saúde | Da EFE

Sputnik protege contra variante britânica

Sputnik protege contra variante britânica

Ignacio Ortega/EFE /EPA

A primeira vacina da Rússia contra covid-19, Sputnik V, e a segunda, chamada EpiVacCorona, registrada em outubro do ano passado, são eficazes contra a cepa britânica do coronavírus, disse nesta terça-feira a Agência Russa para a Defesa do Consumidor (Rospotrebnadzor).

"O efeito protetor foi demonstrado neutralizando reações usando soro de pessoas que receberam Sputnik V e EpiVacCorona e desenvolveram anticorpos para SARS-CoV-2", disse o órgão, em sua conta no Facebook.

"O soro das pessoas vacinadas neutralizou efetivamente tanto a variante britânica do coronavírus quanto o próprio coronavírus, que não contém o conjunto de mutações características da cepa britânica", disse a agência federal russa.

A agência russa não revela quantas pessoas foram analisadas neste estudo realizado pelo Centro de Pesquisa Estatal de Virologia e Biotecnologia Vector, desenvolvedor da EpiVacCorona.

Na última segunda-feira, a agência oficial "TASS" disse que a segunda vacina russa também era eficaz contra as cepas sul-africana e brasileira, sem oferecer mais dados.

O presidente russo, Vladimir Putin, instruiu ontem o governo a analisar a eficácia das vacinas russas contra novas variantes do coronavírus e, se necessário, realizar mais pesquisas para adaptá-las.

O prazo para o primeiro relatório é 15 de março e depois um novo a cada semestre, mas o Rospotrebnadzor já antecipou para hoje.

Últimas