Novo Coronavírus

Saúde Agências americanas recomendam pausa no uso da vacina da Johnson

Agências americanas recomendam pausa no uso da vacina da Johnson

Paralisação foi recomentada por precaução porque seis mulheres desenvolveram coágulos sanguíneos após receberem imunizante

  • Saúde | R7, com AFP

EUA aplicaram 6,8 milhões de doses e seis pessoas tiveram coágulos sanguíneos

EUA aplicaram 6,8 milhões de doses e seis pessoas tiveram coágulos sanguíneos

KAMIL KRZACZYNSKI/AFP - 3.4.2021

A Agência reguladora de medicamentos dos EUA (FDA) e o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) norte-americano recomendaram uma pausa na aplicação da vacina contra a covid-19 da Johnson, por precaução.

As agências investigam a relação do imunizante com o surgimento de seis casos de coágulos sanguíneos incomuns, de seis a 13 dias após as pessoas terem recebido a dose da vacina.

"Até que este processo seja concluído, recomendamos uma pausa no uso desta vacina como precaução. Isso é importante, em parte, para garantir que a comunidade prestadora de cuidados de saúde esteja ciente do potencial desses eventos adversos e possa planejar seu reconhecimento e gestão adequados devido ao tratamento único necessário com esse tipo de coágulo sanguíneo. Neste momento, esses eventos adversos parecem ser extremamente raros."

O FDA informou que mais de 6,8 milhões de pessoas receberam a substância da Johnson, nos Estados Unidos. E confirmou que terá uma reunião entre as duas agências, na próxima quarta-feira, para revisar os casos e avaliar a importância desses efeitos colaterais.

Todos os casos aconteceram em mulheres entre 18 e 48 anos. De acordo com comunicado do FDA, o tratamento deste tipo específico de coágulo sanguíneo é diferente do tratamento mais comum.

"O medicamento anticoagulante chamado heparina é geralmente usado para tratar coágulos sanguíneos. Nesse contexto, a administração da heparina pode ser perigosa e tratamentos alternativos precisam ser administrados", recomendou a agência no comunicado à imprensa. 

Confira a íntegra do comunicado da FDA, que está em espanhol. 

A declaração foi feita alguns dias depois do anúncio da Agência Europeia de Medicamentos (EMA) de que também está examinando possíveis casos de coágulos de sangue em pessoas que receberam o fármaco da Johnson. 

No Brasil, o imunizante tem aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Ministério da Saúde comprou 38 milhões de doses. A previsão de entrega é no terceiro trimestre de 2021. 

Últimas