AGU: Combate ao coronavirus deve ocorrer ‘sem abuso ou punitivismo’

"Medidas técnicas precisam ser adotadas com razoabilidade", afirmou André Mendonça ao defender harmonia entre todos os entes da Federação

Mendonça: "Orientação e para que se evite aglomerações"

Mendonça: "Orientação e para que se evite aglomerações"

Divulgação/Vera Lúcia Massaro/Alesp

O advogado-geral da União, André Luiz Mendonça, defendeu nesta quinta-feira (23) que o combate à pandemia do novo coronavírus nos Estados e municípios deve acontecer "sem abuso ou punitivismo". "Por se tratar de uma crise complexa, é necessária uma harmonia entre todos os entes", afirmou ele.

"As medidas técnicas precisam ser adotadas com razoabilidade, sem abusos ou cerceamentos excessivos na liberdade dos cidadãos e sem um punitivismo injustificado", destacou o advogado-geral.

Leia também: Brasil soma 3.313 mortes por covid-19

Ao comentar o isolamento social, ele cita a Austrália como um exemplo positivo da Austrália ao liberar a pratica de exercícios físicos. “A orientação geral e para que se evite aglomerações, o que não impede que uma pessoa possa praticar um esporte, como natação ou surfe.”

De acordo com Mendonça, neste momento é necessária uma redução de discursos mais politizados. "Precisamos focar em um debate técnico de forma a respeitas as opiniões científicas divergentes", disse ele.

Para Mendonça, o atual momento envolve toda a sociedade e a solução deve se passar por uma análise mais complexa de aspectos. "É uma crise que tem o eixo central na saúde, mas tanto seu impacto quanto a sua solução, passam por vários ramos da ciência humana e biológica"

Ao analisar a situação, o advogado-geral também comparou a situação com a corrupção. "A corrupção é um problema governamental e econômico que traz com problemas sociais. Então, não se combate a corrupção com medidas de apenas uma natureza", avaliou ele durante entrevista coletiva.