Coronavírus

Saúde Anticorpo de covid dos laboratórios Vir e GSK tem 'grande eficácia'

Anticorpo de covid dos laboratórios Vir e GSK tem 'grande eficácia'

Droga reduziu 85% nas hospitalizações e mortes de pacientes tratados com anticorpo, se comparado com quem recebeu placebo

  • Saúde | Da AFP

Anticorpo usado em pacientes graves e hospitalizados mostrou eficácia

Anticorpo usado em pacientes graves e hospitalizados mostrou eficácia

MOHAMED MESSARA/EFE/EPA - 3.3.2021

O anticorpo para tratar pacientes com alto risco de hospitalização por covid-19 desenvolvido pelos laboratórios GSK e Vir Biotechnology mostrou "grande eficácia" em resultados provisórios - anunciaram a gigante farmacêutica britânica e a empresa californiana nesta quinta-feira (11).

De acordo com um comitê independente, os resultados provisórios de um estudo com a participação de 583 pessoas mostraram uma redução de 85% nas hospitalizações e mortes em pacientes tratados com o anticorpo monoclonal VIR-7831, em comparação com aqueles que receberam um placebo.

O produto também foi "bem tolerado", disseram a GSK e a Vir em um comunicado. Diante desses resultados, os dois grupos planejam buscar a aprovação nos Estados Unidos e em outros países.

As duas empresas farmacêuticas também anunciaram que um novo estudo "in vitro" mostrou que o VIR-7831 continua sendo eficaz contra novas variantes da covid-19 atualmente em circulação, originadas no Reino Unido, África do Sul e Brasil.

"Esses dados tão animadores e nos aproximam um pouco mais de poder levar uma nova solução eficaz para pacientes do mundo todo", aifirmou o CEO da Vir, George Scangos.

"Queremos pôr o VIR-7831 à disposição dos pacientes o mais rápido possível e continuar explorando seu potencial em outros ambientes", disse o diretor científico e presidente de Pesquisa e Desenvolvimento da GSK, Hal Barron.

Vir e GSK também estão colaborando nos testes de fase inicial de um segundo anticorpo (VIR-7832). Os testes pré-clínicos indicam que tem "potencial para bloquear a entrada do vírus nas células saudáveis e uma maior capacidade para eliminar as células infectadas", segundo os dois grupos.

Últimas