Coronavírus

Saúde Anvisa adia reunião com fabricante da vacina Covaxin

Anvisa adia reunião com fabricante da vacina Covaxin

Encontro seria hoje para discutir etapas do processo de uso emergencial, mas foi remarcado a pedido do laboratório

Brasil poderá ter 20 milhões de doses da Covaxin, caso seja aprovada pela Anvisa

Brasil poderá ter 20 milhões de doses da Covaxin, caso seja aprovada pela Anvisa

Adnan Abidi/Reuters

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) remarcou para dia 16 a reunião prevista para hoje com representantes da empresa fabricante da vacina contra covid-19 Covaxin. Segundo a agência, a alteração da data foi feita a pedido do laboratório Bharat Biotech e do representante dele no Brasil, Precisa Medicamentos.

O encontro será virtual e terá como objetivo discutir o processo de submissão para autorização de uso emergencial do imunizante. Serão avaliadas as condições de viabilizar o produto.

A Covaxin está entre as vacinas previstas pelo Ministério da Saúde, que já firmou um contrato de 20 milhões de doses, mas que depende da aprovação da Anvisa para ser pago.

Feita com uma tecnologia tradicional de vírus inteiro inativado (assim como a CoronaVac), a vacina indiana apresentou eficácia de 81% na prevenção de casos sintomáticos da covid-19, segundo informes preliminares.

O imunizante já está aprovado para uso emergencial na Índia, antes mesmo da conclusão da terceira fase de estudos clínicos.

Em um gesto para transmitir confiança em relação à vacina, o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, vacinou-se com a Covaxin em 1º de março.

O país também está permitindo que seus cidadãos escolham a vacina que vão tomar, de acordo com o local de aplicação. Atualmente, o país usa também o imunizante Oxford/AstraZeneca, fabricado pelo Instituto Serum da Índia.

Últimas