Novo Coronavírus

Saúde Anvisa aguarda comunicado oficial sobre retomada de testes de vacina

Anvisa aguarda comunicado oficial sobre retomada de testes de vacina

Universidade de Oxford dará continuidade aos ensaios no Reino Unido; Brasil só pode fazer o mesmo após autorização de órgãos reguladores nacionais

  • Saúde | Do R7

Retomada de testes da vacina de Oxford depende de autorização da Anvisa

Retomada de testes da vacina de Oxford depende de autorização da Anvisa

Freepik

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aguarda um comunicado oficial da Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos para a Saúde (MHRA, na sigla em inglês), orgão regulador do Reino Unido, sobre a retomada dos testes de fase 3 da vacina contra a covid-19. Esta é a última etapa antes de uma possível aprovação para comercialização.

Desenvolvido pela Universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca, o imunizante teve os testes interrompidos em todo o mundo após uma voluntária sofrer uma grave reação adversa. A continuidade no país europeu foi autorizada depois da conclusão de análise feita por um comitê independente de revisão.

Para que o mesmo aconteça no Brasil, a farmacêutica AstraZeneca deve pedir uma nova autorização para a Anvisa. "Na prática, o laboratório precisa protocolar o pedido de nova anuência para que o estudo da vacina de Oxford possa ser retomado no país", diz a nota da agência.

Em todo o mundo, cerca de 18 mil voluntários já receberam doses da vacina. No Brasil, são 5 mill participantes, destes 4.600 já foram vacinados "sem qualquer registro de intercorrências graves de saúde", segundo a Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), que coordena os testes no país.

Quando a pausa foi anunciada, a instituição explicou que isso significava que novos participantes não seriam incluídos nos ensaios clínicos, mas as investigações seguiam com os participantes que já tinham recebido doses da vacina.

Últimas