Saúde Anvisa ainda não recebeu pedido para testes de vacina russa

Anvisa ainda não recebeu pedido para testes de vacina russa

Sputnik V já está sendo aplicada emergencialmente em alguns grupos selecionados na Rússia desde o fim de agosto

  • Saúde | Do R7

Governo russo garante que Sputnik será enviada ao Brasil em breve

Governo russo garante que Sputnik será enviada ao Brasil em breve

Tatyana Makeyeva/Reuters

Embora o governo russo tenha grande interesse em distribuir a vacina contra a covid-19 Sputnik V no Brasil, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) afirmou nesta segunda-feira (19) que não recebeu qualquer pedido para início de testes clínicos do imunizante no país.

"As solicitações de autorização de estudo ou de registro devem ser apresentadas pelas instituições responsáveis pelo desenvolvimento da vacina", diz a agência reguladora em nota.

Mais cedo, Kirill Dmitriev, presidente do RDIF, fundo soberano russo que patrocina o desenvolvimento da vacina, afirmou que o Brasil é um país "absolutamente prioritário" para receber a Sputnik V.

O governo russo firmou parceria com estados, como Paraná e Bahia, para a realização dos testes e posterior produção da vacina, mas ainda sem data de início.

Leia também: As conclusões do estudo sobre a vacina russa contra o coronavírus

Outro caminho para liberação na Anvisa seria a Rússia apresentar diretamente o pedido de registro com base nos resultados finais dos estudos clínicos em território russo.

A Sputnik V está sendo aplicada emergencialmente em milhares de cidadãos russos de grupos selecionados desde o fim de agosto, quando obteve aprovação do governo.

Atualmente, quatro vacinas têm autorização da Anvisa para testes clínicos. São elas: Oxford/AstraZeneca; CoronaVac (Sinovac Biotech/Butantan); Pfizer; e Janssen, sendo que esta última está pausada em todo o mundo.

Últimas