Coronavírus

Saúde Anvisa aprova uso emergencial do regdanvimabe para tratar covid

Anvisa aprova uso emergencial do regdanvimabe para tratar covid

Medicamento é um anticorpo monoclonal; aplicação é restrita a hospitais e pacientes que não necessitem suplemento de oxigênio

Medicamento foi aprovado para uso apenas em pessoas com risco de ter covid grave

Medicamento foi aprovado para uso apenas em pessoas com risco de ter covid grave

Divulgação

A Diretoria Colegiada da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) concedeu, nesta quarta-feira (11), autorização de uso emergencial do medicamento regdanvimabe para tratamento de covid-19 leve ou moderada.

A droga foi desenvolvida pela biofarmacêutica sul-coreana Celltrion e o pedido foi feito pela subsidiária dela no Brasil.

Trata-se de um anticorpo monoclonal sintetizado que tem como alvo a proteína de pico do coronavírus.

O pedido envolve o uso hospitalar em pacientes que não necessitem de suplementação de oxigênio. A venda em farmácias e drogarias não foi autorizada pela agência.

A Gerência-Geral de Medicamentos da Anvisa também estabeleceu grupos específicos que são elegíveis ao tratamento com o regdanvimabe.

São eles: indivíduos acima de 55 ou adultos com doença cardiovascular ou pulmonar, diabetes mellitus tipo 1 ou tipo 2, doença renal crônica, imunossuprimidos ou que estejam em tratamento com imunossupressor no momento.

O medicamento é aplicado em dose única, por via intravenosa, em pessoas com teste laboratorial positivo para covid-19 e que tenham risco de evoluir para formas graves da doença.

O regdanvimabe já tem aprovação de uso emergencial de agências de outros países, incluindo dos Estados Unidos e da União Europeia.

"Este anticorpo monoclonal atende às expectativas desta agência quanto aos requisitos mínimos de qualidade, segurança e eficácia no contexto do uso emergencial", concluiu a relatora do processo, a diretora Meiruze Freitas.

Últimas