Novo Coronavírus

Saúde Anvisa diz que Butantan não fez pedido de uso emergencial

Anvisa diz que Butantan não fez pedido de uso emergencial

Reunião foi realizada nesta quinta-feira às 10h; segundo agência, instituto apresentou apenas dados sobre eficácia da CoronaVac

  • Saúde | Do R7

CoronaVac é a aposta do governo de São Paulo para vacinação contra a covid-19

CoronaVac é a aposta do governo de São Paulo para vacinação contra a covid-19

Dado Ruvic/Reuters

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) divulgou nesta quinta-feira (7) que o Instituto Butantan não solicitou uso emergencial da CoronaVac, apenas apresentou informações gerais sobre os estudos de eficácia.

Leia também: CoronaVac tem 100% de eficácia para casos graves de covid-19

"Os representantes do instituto afirmaram que vão agendar nova reunião para prosseguir no detalhamento das informações e dados", informou a agência, por meio de nota.

A reunião, considerada de pré-submissão, é uma estratégia que segue a prática de outras autoridades regulatórias do mundo, segundo a Anvisa.

Em entrevista coletiva no início da tarde, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou que um segundo encontro com técnicos da agência reguladora deverá ocorrer ainda nesta quinta-feira. 

Leia também: O que se sabe sobre o início da vacinação no Brasil

"Esta reunião é feita antes do envio de pedido formal de qualquer laboratório para dar conhecimento prévio do projeto de vacina e otimizar os direcionamentos técnicos e legais, além de análise formal da Anvisa. Começa a partir da chegada do processo com informações globais sobre a vacina", afirmou.

A Anvisa esclareceu, em nota, que a reunião de pré-submissão não é pedido de submissão. "Precisa ser feito de forma oficial. Isso é feito depois que as equipes técnicas checam documentos necessários", diz. 

A CoronaVac, vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, apresenta 78% de eficácia na prevenção da doença causada pelo coronavírus, mostraram dados dos estudos clínicos em Fase 3 feitos no Brasil pelo Instituto Butantan nesta quinta-feira (7).

De acordo com o governo do Estado de São Paulo, os estudos comprovaram que a vacina do Butantan tem eficácia de 100% para casos graves e moderados. 

Últimas