Novo Coronavírus

Saúde Anvisa publica certificação da Sinovac na produção da CoronaVac

Anvisa publica certificação da Sinovac na produção da CoronaVac

Documento, antecipado em 10 dias, é um dos pré-requisitos para a continuidade dos processos de registro e de uso emergencial da vacina

  • Saúde | Do R7

CoronaVac é produzida pelo Butantan e pela Sinovac

CoronaVac é produzida pelo Butantan e pela Sinovac

Amanda Perobelli/Reuters - 30.07.2020

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância em Saúde) publicou, na noite desta segunda-feira (21), a certificação de Boas Práticas de Fabricação da Sinovac, laboratório chinês responsável pela produção da CoronaVac em parceria com o Instituto Butantan. O procedimento é um dos pré-requisitos para a continuidade tanto do processo de registro da vacina, quanto de um eventual pedido de autorização de uso emergencial do imunizante.

A equipe técnica da agência foi à China inspecionar a fábrica da Sinovac e concluiu, neste fim de semana, a avaliação das informações complementares enviadas tanto pela empresa chinesa quanto pelo Butantan. Com isso, a publicação da certificação foi antecipada em 10 dias em relação ao previsto.

De acordo com nota da Anvisa, a etapa faz "parte dos esforços contínuos da agência para disponibilizar vacinas para a população com qualidade, segurança e eficácia no menor tempo possível".

Mais cedo, o governo paulista anunciou que o Butantan terá um total de 10,8 milhões de doses da CoronaVac até 31 de dezembro. A marca será alcançada com o recebimento de 7,5 milhões de doses nas próximas semanas, em três voos vindos de Pequim, na China.

O Butantan já trabalha no envase de mais de 3 milhões de doses cujos insumos chegaram nas últimas semanas. Os pedidos de registro definitivo e autorização de uso emergencial da CoronaVac será apresentado à Anvisa na quarta-feira (23), junto com solicitações ao órgão regulador chinês.

A Anvisa estipulou um prazo de dez dias para dar um parecer sobre o uso emergencial. Já o registro sanitário é mais demorado.

Últimas