Coronavírus

Saúde Anvisa solicita ao Butantan informações sobre doses de reforço

Anvisa solicita ao Butantan informações sobre doses de reforço

Agência informou neste sábado que precisa de dados científicos para subsidiar necessidade de dose adicional da vacina CoronaVac

  • Saúde | Do R7

A CoronaVac é a 2ª mais aplicada, no momento, no Brasil, segundo o Ministério da Saúde

A CoronaVac é a 2ª mais aplicada, no momento, no Brasil, segundo o Ministério da Saúde

SEDAT SUNA/EFE/EPA - 21.4.2021

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) anunciou neste sábado (28) que solicitou ao Instituto Butantan, em São Paulo, informações sobre o andamento dos estudos relativos a doses de reforço ou revacinação da CoronaVac, sua vacina contra a covid-19. Segundo a agência, o pedido foi feito na sexta-feira (27).

A Anvisa informa que precisa de dados científicos ou regulatórios para subsidiar a necessidade de dose adicional da vacina CoronaVac. "O objetivo é antecipar informações para avaliar o cenário em torno da necessidade ou não de doses adicionais das vacinas contra covid-19 em uso no Brasil", afirmou por meio de nota. 

A agência ressalta que solicitou ainda que o instituto agende uma reunião com os técnicos da Anvisa com o objetivo de discutir dados já disponíveis e resultados preliminares dos estudos. 

A CoronaVac foi a primeira vacina aplicada no Brasil e hoje é segunda mais administrada, atrás da AstraZeneca, segundo o Ministério da Saúde. Desenvolvida pela empresa Sinovac na China, é produzida no Brasil pelo Instituto Butantan. É aplicada em duas doses, com intervalo de três ou quatro semanas.

A vacina é aplicada por meio de uso emergencial, não tendo ainda registro definitivo da Anvisa.

Últimas