Novo Coronavírus

Saúde Após superar covid-19, pacientes podem ficar mais sensíveis

Após superar covid-19, pacientes podem ficar mais sensíveis

Psiquiatra explica que, nessa fase, qualquer tensão pode ser interpretada de uma forma maior do que realmente é; tratamento pode ser longo

  • Saúde | Aline Chalet, do R7*

Pacientes de covid-10 podem ficar emocionalmente mais sensíveis

Pacientes de covid-10 podem ficar emocionalmente mais sensíveis

Pixabay

A infecção da covid-19 possui um forte impacto na saúde mental, afirma o psiquiatra Henrique Bottura, diretor clínico do Instituto de Psiquiatria Paulista. Segundo ele, o paciente pode ficar emocionalmente sensível e qualquer tensão pode ser interpretada de uma forma maior do que realmente é. “Esse comportamento é muito comum em pacientes depressivos.”

O técnico em segurança eletrônica João Pedro Frezza, 20, conta que descobriu que estava com covid-19 ao fazer exames pré-operatórios para uma cirurgia no ombro. “Eu estava assintomático, não teria como saber se não fosse a cirurgia.”

Assim que o resultado do exame deu positivo, ele iniciou o isolamento. “Ficar isolado foi muito difícil, não ver ninguém, ficar longe dos meus pais em casa, eu fiquei muito desanimado. Então eu marquei um encontro com meus amigos assim que acabasse os 15 dias.”

João conta que um dos amigos pareceu não querer vê-lo. “A maioria dos meus amigos estavam muito ansiosos para me ver, mas teve um que estava dando várias desculpas, dava para perceber que ele estava com medo.”

Bottura explica que é importante que o paciente entenda que esse comportamento não é um preconceito e que ele não se sinta vítima ou excluído. “Nós sabemos que o paciente não transmite mais depois de 15 dias, então você tem que relevar, entender que é desinformação e até tentar esclarecer para essa pessoa que a visita é segura.”

O psiquiatra explica que a infecção por covid-19 pode acarretar a piora de transtornos psicológicos preexistentes e no surgimento do transtorno de estresse pós-traumático. Segundo ele, vários pacientes que têm algum transtorno e passam pela infecção precisam de um aumento na dose das medicações psiquiátricas.

“Essa sensibilidade após a infecção logo passa, agora nos pacientes que tiveram o quadro mais crítico, estamos vendo o estresse pós-traumático, que pode aparecer até seis meses após o evento traumático.”

Esse transtorno é caracterizado por episódios em que a pessoa vive novamente a ansiedade e o estresse causado por um evento muito intenso ou de quase morte. O médico explica que o tratamento desse tipo de transtorno é mais complexo e longo. “Existem pessoas que desenvolveram o transtorno na guerra do Vietnã e estão se tratando até hoje.”

*Estagiária do R7 sob supervisão de Deborah Giannini

Últimas