Coronavírus

Saúde Após suspensões na Europa, Anvisa mantém uso da vacina de Oxford

Após suspensões na Europa, Anvisa mantém uso da vacina de Oxford

Agência se reuniu com reguladoras estrangeiras, analisou supostos casos de efeitos adversos e decidiu que vacina ainda é segura

  • Saúde | Do R7

Anvisa investigou seis casos de trombose entre vacinados e não encontrou causalidade

Anvisa investigou seis casos de trombose entre vacinados e não encontrou causalidade

Valentyn Ogirenko/Reuters - 05.03.2021

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) garantiu nesta terça-feira (16) que, até o momento, o uso das vacinas de Oxford é seguro e não apresenta risco que justifique a suspensão do uso do imunizante, como já ocorreu em mais de dez países da Europa após a notificação de alguns casos de trombose entre os vacinados.

Em nota, a Anvisa diz ter se reunido com agências regulatórias de outros 52 países, entre eles os EUA, Reino Unido, Canadá, Japão, Austrália, Irlanda, Dinamarca e Singapura, para avaliar os dados sobre a suposta ligação entre ocorrências de trombose e a vacina.

"De um modo geral, a maioria dos eventos adversos graves com associação temporal às
vacinas são apenas eventos coincidentes, não correspondendo a eventos causados pelos
imunizantes. A diferenciação entre esses dois tipos de eventos requer uma investigação
aprofundada de cada caso", afirmou a agência em comunicado.

A Anvisa ainda pontuou que o lote da vacina que deu início às suspensões feitas por alguns países não veio para o Brasil. Também afirmou que investigou, junto com Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, seis casos de trombose em pessoas vacinadas no Brasil, mas que não encontrou relação de causa com a aplicação das doses. 

Até agora, já foram aplicadas mais de três milhões e oitenta mil de doses da vacina no Brasil, em um total de 10,3 milhões de pessoas imunizadas nacionalmente.

Suspensões na Europa

A suspensão da vacina de Oxford em diversos países da Europa foi feita em caráter preventivo, já que ainda não existem evidências de que a vacina tenha causado eventos adversos nos imunizados, o que foi reiterado pela Agência Europeia de Medicamentos.

Segundo a agência internacional, até o momento, os benefícios da vacina continuam a superar possíveis riscos e o número de casos de trombose entre vacinados não parece superar as estatísticas o que é observado na população em geral. 

A OMS (Organização Mundial da Saúde) também afirmou que não vê motivos para suspender o uso da vacina, alegando falta de evidências.  

Últimas