Aprenda a diferenciar os sintomas da dengue, chikungunya e zika

Cuidados para evitar proliferação do Aedes devem ser tomados dentro e fora de casa

Evitar o acúmulo de água parada em pneus e outros reservatórios é um cuidado a ser tomado tanto dentro de casa quanto nas viagens de verão
Evitar o acúmulo de água parada em pneus e outros reservatórios é um cuidado a ser tomado tanto dentro de casa quanto nas viagens de verão Thinkstock

O mosquito Aedes aegypti deita e rola no verão, quando as temperaturas sobem e o volume de água parada aumenta por conta das chuvas. Ele é o principal vetor de doenças como dengue, febre chikungunya e o vírus zika. O principal cuidado combater sua reprodução — evitar o acúmulo de água em vasos de plantas, pneus e outros reservatórios — já é bastante conhecido pela população, mas não deve ser praticado só em casa. Nesta época em que boa parte das pessoas tira férias e viaja para os mais variados destinos nacionais, as medidas de prevenção devem permanecer independentemente do lugar.

A professora Ione Aquemi Guibu, da FCMSCSP (Faculdade de Ciências Médicas da Santa de Casa de São Paulo), dá dicas para quem for ao campo ou à praia — ambientes em que o calor pode ser muito intenso nesse período do ano.

— Podem ser usados repelentes aprovados pela Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária] e mosquiteiros. É interessante também verificar se há criadouros próximos ao local onde o viajante for ficar, atuando e orientando para a eliminação desses focos.

Saúde alerta para aumento da dengue e de outras doenças no verão em Salvador

A especialista ainda reforça que, no caso de crianças, idosos e gestantes, a atenção deve ser redobrada.

— Nessas populações, o vírus pode evoluir para formas mais graves. Principalmente para gestantes, que devem usar roupas que diminuam a exposição da pele, com mangas mais longas e calças.

Dados do Ministério da Saúde mostram que os casos de zika e dengue, transmitidos pelo mosquito Aedes, devem se manter estáveis em 2017. Os de infecção pelo vírus chikungunya, entretanto, devem crescer significativamente. De qualquer forma, é muito importante conhecer os sintomas de cada uma das doenças. Ao menor sinal identificado, procure um médico imediatamente.

Epidemias de zika e chikungunya serão mais fortes em 2017

Veja a seguir:

Dengue clássica

Febre súbita e alta por até uma semana, dores de cabeça, no corpo e nas articulações, dor atrás dos olhos, fraqueza, prostração e manchas vermelhas na pele são sinais típicos para quem sofre com a doença.

Dengue hemorrágica

Os sinais são os mesmos da dengue clássica, mas ocorrem em grau mais intenso, e incluem complicações como náuseas e vômitos, dor abdominal, diminuição da pressão arterial e tontura. Sangramentos nasais, gengivais e até gastrointestinais ou intracranianos também podem ocorrer.

Febre chikungunya

Febre súbita e muito alta, cansaço, perda de apetite, náuseas, vômitos, dores intensas nas articulações e na cabeça, inchaços nos membros, dor nas costas, manchas vermelhas na pele e inflamação dos olhos — sem secreção ou coceira.

Vírus zika

Sintomas como febre baixa, mal-estar, dor de cabeça leve, dores articulares e musculares, diarreia, manchas vermelhas intensas na pele, coceiras e inflamação nos olhos – sem secreção e coceira – são motivos para procurar o médico.