Argentina registra segunda morte por coronavírus

Vítima é um professor universitário de 61 anos, morador da província de Chaco, que havia retornado de uma viagem à Europa

Argentina está impondo restrições a voos internacionais

Argentina está impondo restrições a voos internacionais

Agustin Marcarian/Reuters

A Argentina registrou nesta sexta-feira (13) a segunda morte por coronavírus no país. A vítima é um homem, professor universitário, morador da província de Chaco, informa o jornal Clarín.

O homem estava internado em um hospital na cidade de Resistência, após complicações decorrentes da infecção. Ele havia retornado recentemente de uma viagem à Europa.

O país tem ao menos 31 casos confirmados de covid-19 (doença causada pelo novo coronavírus).

Restrições a viagens

O governo da Argentina ordenou nesta sexta-feira que a suspensão de voos das áreas afetadas pelo coronavírus decretada ontem comece a entrar em vigor a partir da próxima terça, para permitir até então o retorno de residentes do país.

O ministro dos Transportes, Mario Meoni, instruiu as companhias aéreas afetadas pela restrição a operar até segunda-feira voos da Europa, Estados Unidos, Coreia do Sul, Japão, China e Irã.

O Ministério dos Transportes disse que esse período foi concedido até a próxima segunda-feira, inclusive, "com o objetivo de atender a circunstâncias humanitárias de necessidade excepcional que permitam o retorno às residências de passageiros e tripulações residentes" na Argentina.

Ontem, o presidente argentino, Alberto Fernández, assinou um decreto de necessidade e urgência para declarar uma emergência de saúde devido ao coronavírus e adotou, entre outras medidas, a suspensão por 30 dias de voos internacionais de passageiros provenientes das "áreas afetadas" pela doença.

O decreto estabelece como "áreas afetadas" pela pandemia da covid-19 os países-membros do espaço Schengen, da União Europeia, Reino Unido, Estados Unidos, Coreia do Sul, Japão, China e Irã.

Segundo o Ministério dos Transportes, a partir da próxima terça-feira, a estatal Aerolineas Argentinas será autorizada exclusivamente a realizar as operações de transferência de e para as áreas afetadas.

Desde que o primeiro caso foi divulgado, no último dia 3, até agora todos foram casos importados, sendo que a primeira morte ocorreu no dia 7.