Saúde Argentina vacinará crianças contra Covid a partir dos 6 meses de vida

Argentina vacinará crianças contra Covid a partir dos 6 meses de vida

Vizinhos do Brasil usarão doses da Moderna para imunizar crianças com até 2 anos e 11 meses de idade

Agência EFE
Argentina usará doses da Moderna para imunizar crianças de 6 meses a 2 anos e 11 meses

Argentina usará doses da Moderna para imunizar crianças de 6 meses a 2 anos e 11 meses

Juan Ignacio Roncoroni/EFE - 9.7.2022

A Argentina começará a vacinar contra a Covid-19 meninos e meninas de idade entre 6 meses e quase 3 anos, além de também aplicar reforços na população pediátrica entre 3 e 4 anos, sendo que as primeiras vacinas — do laboratório Moderna — chegariam durante a semana de 25 de julho, segundo informaram fontes oficiais ontem, sexta-feira (8).

"As vacinas utilizadas serão da plataforma de RNA do laboratório Moderna e serão usadas para iniciar esquemas desde os 6 meses até os 2 anos, 11 meses e 29 dias", detalhou o Ministério da Saúde argentino em comunicado.

A pasta de Saúde da Argentina avançará com a inoculação em lactentes após a aprovação da entidade reguladora, a Anmat (Administração Nacional de Medicamentos, Alimentos e Tecnologia Médica).

Uma remessa com 1,4 milhão de doses chegará em três semanas; com isso, segundo o presidente da Argentina, Alberto Fernández, o país seria o primeiro da América Latina a tomar essa decisão sanitária.

“A Argentina se torna o primeiro país da América Latina e um dos primeiros do mundo a começar a vacinar crianças a partir dos 6 meses de idade contra a Covid-19”, escreveu Fernández em sua conta no Twitter.

“Após avançar com a Moderna para sua autorização pela Anmat, em 25 de julho receberemos 1,4 milhão de doses pediátricas para iniciar o esquema para crianças entre 6 meses e 3 anos e para reforço de crianças entre 3 e 4 anos. As vacinas são seguras e necessárias”, acrescentou o chefe de Estado.

Por sua parte, a ministra da Saúde, Carla Vizzotti, afirmou que o vírus está presente e continuará a circular sazonalmente.

“A pandemia está em outro estágio, claramente é outra situação. Mas o vírus está aqui, o vírus vai continuar conosco, circulando sazonalmente. Estamos melhores graças às vacinas e por isso temos que continuar nos vacinando”, esclareceu Vizzotti.

Na última semana, a Argentina registrou 27.154 casos e 39 mortes pelo coronavírus, enquanto os leitos de unidades de terapia intensiva registraram uma ocupação de 44,6%.

Com 46.234.830 habitantes, a Argentina apresenta 40,8 milhões com esquema vacinal iniciado e 37,6 milhões com esquema completo, enquanto 24,8 milhões têm dose de reforço e 3,1 milhões com a quarta dose. 

Últimas