Coronavírus

Saúde AstraZeneca faz queixa sobre venda de vacinas para setor privado

AstraZeneca faz queixa sobre venda de vacinas para setor privado

Denúncia da fabricante da vacina de Oxford foi feita neste sábado (13), na Itália; farmacêutica enfatizou que não realiza tipo de venda

  • Saúde | Da Ansa

A vacina de Oxford, da AstraZeneca, está sendo aplicada no Brasil

A vacina de Oxford, da AstraZeneca, está sendo aplicada no Brasil

JOE GIDDENS/EFE

A farmacêutica AstraZeneca apresentou neste sábado (13) uma queixa ao departamento que cuida de questões sanitárias da Arma dos Carabineiros da Itália sobre as tentativas de vendas de vacinas anti-covid a entes privados e fora dos canais formais.

A denúncia afirma que "no caso da AstraZeneca ser novamente associada a atividades ilícitas na questão do fornecimento da vacina, nos reservaremos o direito de agir legalmente nas sedes oportunas". "Não há atualmente nenhum fornecimento, venda ou distribuição de vacinas para o setor privado", diz ainda a nota da empresa.

A apresentação da queixa surge em um momento em que as regiões italianas informaram que querem negociar a compra de imunizantes anti-covid de maneira própria e, com isso, algumas empresas informaram que estavam fazendo a negociação também.

"[A AstraZeneca] está empenhada em apoiar um acesso à vacina de maneira ampla, igualitária e sem lucro durante a duração de toda a pandemia e temos fé em nosso compromisso global na relação com os governos e as organizações sanitárias internacionais", ressalta ainda.

Sobre as notícias de fornecimento, a farmacêutica afirma que não há "canais paralelos" de negociação e que não tem nenhum contrato nesse sentido. "Se alguém oferecer a vacina através do setor privado, provavelmente, tratam-se de vacinas contrabandeadas e, como tais, serão denunciadas às autoridades competentes", finaliza.

A farmacêutica produz, com a parceria do laboratório alemão BioNTech, a AZD 1222, um imunizante que já foi aprovado para uso emergencial em diversos locais do mundo, como na própria União Europeia, Brasil, Reino Unido, Índia, entre outros.

Últimas