Surto de varíola do macaco

Saúde Autoridades do Canadá não descartam que varíola do macaco tenha mudado forma de contágio

Autoridades do Canadá não descartam que varíola do macaco tenha mudado forma de contágio

Doença é endêmica na África, mas nos últimos dias apareceu em pacientes em diversos países europeus, América do Norte e Oceania

Agência EFE
Vírus já foi detectado em mais de dez países

Vírus já foi detectado em mais de dez países

CDC/via Reuters

O Canadá não descarta que a varíola do macaco tenha evoluído e mudado sua forma de contágio, após o aparecimento de vários casos em seu território e em outros países longe da África, onde a doença é mais comum.

A diretora de Saúde Pública do Canadá, Theresa Tam, afirmou nesta sexta-feira (20) que estão analisando amostras de cerca de 24 pessoas que podem estar infectadas.

Ela informou que as autoridades sanitárias estão tentando determinar se os casos estão relacionados a viagens para o continente africano.

Theresa Tam disse que o aparecimento de tantos casos fora da África, onde a doença é endêmica, é um acontecimento incomum e questionou se a doença evoluiu a ponto de alterar a forma de transmissão.

"Temos que estar abertos ao fato de que algo pode ter evoluído e mudado", comentou.

Enquanto isso, o Canadá está tentando aumentar seu estoque de doses da vacina contra a varíola, que também demonstrou ser eficaz contra a varíola do macaco, disse a diretora.

Ontem, a Agência de Saúde Pública do Canadá (PHAC, na sigla em inglês) e a Secretaria de Saúde de Quebec confirmaram os dois primeiros casos de varíola do macaco no país: ambos foram localizados em Montreal, cidade que também está ligada ao primeiro caso confirmado.

Além disso, as autoridades sanitárias estão investigando outros 20 casos possíveis, a maioria em Montreal, mas também no outro extremo do país, na província de Colúmbia Britânica.

Últimas