Sarampo
Saúde Baixa adesão prorroga vacinação contra o sarampo em Roraima

Baixa adesão prorroga vacinação contra o sarampo em Roraima

Campanha pretende vacinar 400 mil até dia 21; Estado tem 59 casos confirmados da doença, sendo 45 em venezuelanos e 14 em brasileiros 

Cerca de 85 mil pessoas já tomaram a vacina

Cerca de 85 mil pessoas já tomaram a vacina

Divulgação/Sesau

O governo de Roraima decidiu prorrogar a campanha de vacinação contra o Sarampo até o dia 21 abril por causa da baixa procura pelas vacinas por parte da população.

Até o momento, pouco mais de 85 mil pessoas se vacinaram. A meta é vacinar 400 mil pessoas em todos os 15 municípios do estado.

Além de disponibilizar as doses nos postos de saúde, o governo também ofereceu dois carros para cada município. Os veículos devem ser usados para buscar pessoas que moram em lugares mais afastados e precisam se vacinar.

Saiba mais: OMS alerta para surto de sarampo

De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde, todas as pessoas entre 6 meses a 49 anos devem se vacinar.

América registra casos de sarampo em 11 países

De acordo com o último boletim epidemiológico publicado na sexta-feira (6) pela Organização Mundial da Saúde (OMS), 11 países da região das Américas registraram um total de 385 casos confirmados de sarampo desde o início de 2018.

O país com o maior número de casos é a Venezuela, que confirmou que 279 pessoas foram infectadas pelo vírus do sarampo. Em segundo lugar está o Brasil, com 46 casos, seguido dos Estados Unidos, com 41 casos.

A lista segue com Colômbia (5 casos), Canadá (4), México (4), Peru (2) Antígua e Barbuda (1), Argentina (1), Equador (1) e Guatemala (1).

De acordo com a OMS, 67% dos casos confirmados na Venezuela foram registrados no estado de Bolívar. A partir daquela região, o vírus teria se espalhado outras áreas por causa do movimento migratório da população.

No Brasil, há um surto de sarampo em andamento nos estados de Roraima e do Amazonas. O número de casos em Roraima foi atualizado pelo governo do estado nesta terça-feira (10). De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde, são 59 casos de sarampo confirmados, sendo 45 em venezuelanos e 14 em brasileiros. O Amazonas tem quatro casos confirmado e todos os pacientes são brasileiros, segundo a OMS.

Por causa destes números, A OMS e a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) publicaram nesta segunda-feira (9) uma série de recomendações aos estados e municípios. As duas organizações também estão acompanhando e apoiando as ações emergências de vacinação desenvolvidas pelo Ministério da Saúde, em parceria com os governos locais.

Entre as recomendações, está a vacinação contra sarampo de todos os moradores com primeira e segunda dose para que a cobertura vacinal chegue a 95% em todos os municípios, com atenção especial às populações de risco – pessoas sem comprovação de vacina, profissionais da saúde, pessoas que trabalham com turismo ou transporte e viajantes internacionais.

A OMS/OPAS também sugere que os países fortaleçam a vigilância epidemiológica, para que os casos de sarampo sejam rapidamente identificados e tratados, para que os laboratórios recebam as amostras suspeitas dentro de, no máximo, cinco dias.

Outra recomendação é que os países identifiquem fluxos migratórios, tanto a chegada de estrangeiros quanto as movimentações de residentes, para facilitar para estas pessoas o acesso aos serviços de vacinação. Além de estabelecer uma resposta rápida aos casos importados da doença, antes que o vírus seja transmitido para outras pessoas.

Saiba quais doenças podem ser evitadas com vacina: