Bolívia registra primeira morte pelo novo coronavírus

Desde o dia 22, vigora no país uma quarentena total, com restrições à circulação de pessoas e veículos, com exceção de casos excepcionais

A presidente interina do país, Jeanine Áñez, na última quinta (26), decretou estado de emergência

A presidente interina do país, Jeanine Áñez, na última quinta (26), decretou estado de emergência

David Mercado/Reuters - 13.03.2020

O ministro interino da Saúde da Bolívia, Aníbal Cruz, informou neste domingo (29) a primeira morte provocada por infecção pelo novo coronavírus no país. A vítima é uma mulher, de 78 anos, que vivia na cidade de Santa Cruz.

O óbito foi confirmado às 6h30 local (7h30 de Brasília) e atestado por "graves problemas respiratórios, pneumonia típica, coronavírus positivo", segundo relatou o integrante do governo provisório, em entrevista coletiva concedida em La Paz.

Cruz explicou que a idosa deu positivo para exame na última quinta-feira (26). Ela apresentava estado estável, mas sofreu piora ontem (28), sendo levada para uma UTI (unidade de tratamento intensivo), onde não resistiu e morreu.

"Somente com união e o compromisso de todos os bolivianos ganharemos essa batalha", garantiu o ministro da presidência, Yerko Nuñez, ao pedir que todos se conscientizem das precauções necessárias.

No último boletim de casos na Bolívia, divulgado ontem, o número de infectados era de 81.

Desde o domingo passado, vigora no país uma quarentena total, com restrições à circulação de pessoas e veículos, com exceção de casos excepcionais, como emergências médicas, segurança e a compra de alimentos, que precisa levar duas horas.

A presidente interina do país, Jeanine Áñez, na última quinta, decretou estado de emergência, que impõe medidas como o fechamento de fronteiras e a proibição de voos internacionais e domésticos de ida e vinda.