Brasil tem 31.790 profissionais de saúde diagnosticados com covid-19 

De acordo com o Ministério da Saúde, outros 114.301 casos suspeitos ainda estão sendo investigados e, portanto, permanecem afastados do trabalho 

De acordo com o Cofen, 14.465 profissionais de enfermagem foram afastados

De acordo com o Cofen, 14.465 profissionais de enfermagem foram afastados

Eduardo Anizelli/ Folhapress - 16.4.2020

O Brasil acumula 31.790 profissionais de saúde diagnosticados com covid-19. As informações foram divulgadas pelo Ministério da Saúde, nesta quinta-feira (14), e integram o sistema eSUS Notifica, que foi desenvolvido pela pasta para concentrar os dados sobre a pandemia do novo coronavírus no país.  

Durante coletiva de imprensa, em Brasília, Eduardo Macário, secretário substituto de Vigilância em Saúde, afirmou também que outros 114.301 casos ainda estão sendo investigados e, por isso, o contingente de trabalhadores afastados tem "preocupado" as autoridades de saúde. 

"O trabalho que tem sido feito pelos profissionais de saúde no enfrentamento ao novo coronavírus tem nos preocupado bastante, principalmente devido ao número de afastamentos”, disse o secretário substituto. 

Desde o início da pandemia, 199.768 casos, entre suspeitos, confirmados e descartados, foram registrados no sistema do governo federal. Do total, 53.677 foram descartados após a realização de testes.

Profissionais de enfermagem

Mais de 14 mil profissionais de enfermagem, entre enfermeiros, técnicos e auxiliares, já foram afastados por suspeita ou diagnóstico comprovado de covid-19. Em apenas sete dias, de acordo com informações do Cofen (Conselho Federal de Enfermagem), o número cresceu 3.208, o que representa um aumento de aproximadamente 22%.

De acordo com o painel criado pelo ógão, 4.106 pessoas já foram diagnosticadas com a doença e outras 9.727 estão cumprindo quarentena enquanto aguardam os resultados de exames laboratoriais. Na semana passada, de terça (5) para quarta-feira (6), 504 trabalhadores precisaram deixar as atividades temporariamente por conta da pandemia.

O país também registrou crescimento no número de mortes, que foi de 80 para 90 no mesmo período. Outras 18 ainda estão sendo investigadas. Os óbitos representam quase três vezes o total observado na Itália, com 35 ocorrências, segundo o último balanço da Federazione Nazionale degli Ordini delle Professioni Infermieristiche —órgão regulador da categoria no país europeu.