Brasil tem 58.314 mortes por covid-19; casos vão a 1.368.195

Ministério da Saúde confirmou 692 óbitos e 24.052 infectados nas últimas 24 horas. Governo estima que 757.462 pessoas estão recuperadas 

País passa por fase de interiorização de casos de covid-19, diz Ministério da Saúde

País passa por fase de interiorização de casos de covid-19, diz Ministério da Saúde

Ueslei Marcelino/Reuters

O Brasil confirmou 692 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas. Com os dados apresentados pelo Ministério da Saúde, nesta segunda-feira (29), o País tem agora 58.314 óbitos desde o primeiro registro oficial, em 17 de março, na capital paulista. 

De ontem para hoje, segundo a pasta, as secretarias de saúde também notificaram 24.052 novos casos da infecção respiratória provocada pelo novo coronavírus. Agora, são 1.368.195 pessoas diagnosticadas com a doença. O governo federal estima que 757.462 estão recuperadas.

SP registra queda do número de mortes

Hospital de campanha do Pacaembu foi desativado na capital paulista

Hospital de campanha do Pacaembu foi desativado na capital paulista

ALICE VERGUEIRO/ESTADÃO CONTEÚDO

A taxa de crescimento semanal de mortes por covid-19 em São Paulo, entre 21 e 27 de junho, foi a menor desde o início da pandemia do novo coronavírus. No período, houve aumento de 14% dos óbitos relacionados à doença.

O estado registrou na semana passada 1.769 óbitos provocados pela doença respiratória, 144 a menos do que na semana anterior. Trata-se também da maior redução em quase cem dias.

Nas últimas 24 horas, segundo a Secretaria Estadual de Saúde, 60 mortes foram confirmadas. Ao todo, o estado acumula 14.398 vítimas fatais e 275.145 casos da infecção.

OMS: 'Pior ainda está por vir'

OMS fez alerta sobre aceleração da pandemia do novo coronavírus

OMS fez alerta sobre aceleração da pandemia do novo coronavírus

Christopher Black/Reuters

A OMS (Organização Mundial da Saúde) alertou que, apesar de avanços em vários países, a pandemia do novo coronavírus está se acelerando globalmente. "O pior ainda está por vir", alertou o diretor-geral da organização, Tedros Adhanom.

De acordo com a organização, foram registrados um milhão de casos em apenas cinco dias, o que indica a manutenção da curva ascendente de contágios, especialmente devido as situações de Brasil, Índia e Estados Unidos.

Desde a última quinta-feira (25), quando houve uma alta expressiva, na comparação com a véspera, o planeta tem mantido curva ascendente de infecções, que culminaram com o recorde de casos em um mesmo dia, ontem, com 189.007.

Veja a situação em cada estado do Brasil

São Paulo: 275.145 casos (14.398 mortes)
Rio de Janeiro: 111.883 casos (9.848 mortes)
Ceará: 108.225 casos (6.076 mortes)
Pará: 101.207 casos (4.870 mortes)
Maranhão: 78.969 casos (2.012 mortes)
Amazonas: 69.893 casos (2.792 mortes)
Bahia: 69.467 casos (1.800 mortes)
Pernambuco: 58.476 casos (4.782 mortes)
Distrito Federal: 47.071 casos (559 mortes)
Espírito Santo: 45.097 casos (1.621 mortes)
Paraíba: 45.057 casos (931 mortes)
Minas Gerais: 43.864 casos (940 mortes)
Alagoas: 35.117 casos (1.032 mortes)
Rio Grande do Norte: 29.721 casos (994 mortes)
Amapá: 28.253 casos (413 mortes)
Rio Grande do Sul: 25.659 casos (582 mortes)
Santa Catarina: 25.056 casos (324 mortes)
Sergipe: 24.817 casos (653 mortes)
Goiás: 23.007 casos (437 mortes)
Paraná: 21.326 casos (613 mortes)
Rondônia: 20.406 casos (500 mortes)
Piauí: 19.753 casos (643 mortes)
Mato Grosso: 15.086 casos (582 mortes)
Roraima: 14.459 casos (281 mortes)
Acre: 13.146 casos (361 mortes)
Tocantins: 10.359 casos (195 mortes)
Mato Grosso do Sul: 7.676 casos (75 mortes)