Novo Coronavírus

Saúde Buscas pelo termo 'dor nas costas' aumentam durante a pandemia

Buscas pelo termo 'dor nas costas' aumentam durante a pandemia

Problema é causado por má postura, sedentarismo e estresse, evidenciados na quarentena; 80% das pessoas vão ter dor nas costas, diz OMS 

  • Saúde | Aline Chalet, do R7*

Má postura durante o home-office pode levar a dor nas costas

Má postura durante o home-office pode levar a dor nas costas

Freepik

Segundo dados da ferramenta Google Trends, as buscas pelo termo “dor nas costas” tiveram um salto durante a pandemia. O pico foi entre o dia 22 e 28 de março, logo no início da quarentena. As buscas aumentaram em 38% em comparação ao período de 8 e 14 de março, antes do isolamento social.

Depois do pico, o interesse pelo termo se manteve entre 72 e 100 em uma escala de 0 a 100. Antes do início da pandemia o nível de interesse ficava entre 53 e 71.

O aumento reflete comportamentos mais sedentários, má postura e uma saúde mental piorada durante a pandemia, segundo o ortopedista Giancarlo Polesello, presidente da Sociedade Brasileira de Quadril. Ele afirma que já foi comprovado que problemas psicológicos como depressão e ansiedade podem aumentar a dor nas costas.

“É um quadro multifatorial provocado por causas posturais, obesidade, tabagismo, perda de massa muscular, trabalhos que exijam força física e problemas psicológicos.”

A OMS (Organização Mundial da Saúde) afirma que 80% da população terá dor nas costas. Trata-se, portanto, de um problema muito comum, ressalta o médico. Segundo ele, a evolução do homem como espécie exigiu a postura em pé, mas a coluna vertebral não acompanhou isso tão rapidamente.

“Esse aumento do problema não ocorre só neste momento. De 1990 até 2015 houve um aumento de 54% em relação à quantidade de pessoas que reclama de dor nas costas. Os maus hábitos provocam isso e a pandemia evidenciou esses hábitos.”

Segundo o médico, uma pequena porcentagem dos casos de dor nas costas, cerca de 2%, pode ter causas mais definidas e graves como tumores, infecções e fraturas. “Por isso é importante ir ao médico. A chance de ser algo mais sério é pequena, mas é necessário fazer o diagnóstico.”

Outras causas comuns para a dor nas costas  são a artrose e a hérnia de disco, de acordo com o ortopedista. A artrose ocorre quando a cartilagem entre as vértebras se deteriora. Já a hérnia de disco ocorre quando o núcleo gelatinoso de um disco vertebral se desloca por uma abertura na camada externa do disco, que é mais rígida.

Ambos os casos são tratados inicialmente com fisioterapia e, muitas vezes, podem ter uma resolução natural, segundo Polesello, porém, casos mais graves necessitam de cirurgia.

O médico explica que, muitas vezes, os episódios de dor nas costas são pontuais e não necessitam de intervenções. Quando a causa não é identificada é possível utilizar terapias como acupuntura, fisioterapia, mudança da força física e terapias para parar de fumar, no caso de tabagistas.

“Já está documentado que fumantes têm mais dor nas costas, mas não se sabe exatamente por quê. Eu imagino que seja porque eles são mais sedentários e têm a quantidade de oxigenação menor no sangue.”

Para evitar a dor nas costas, é importante manter bons hábitos como alimentação equilibrada e prática de atividade física, destaca o ortopedista. Além disso, para as pessoas que estão trabalhando em casa, ele recomenda que se tente imitar o máximo possível a ergonomia do escritório, sentando-se em uma cadeira confortável e com altura e encosto adequados.

“E é claro que é importante cuidar da saúde mental. Como eu disse, problemas psicológicos também podem aumentar a dor nas costas e, durante a pandemia, estamos mais estressados, ansiosos. São muitas mudanças, então isso também é importante.”

*Estagiária do R7 sob supervisão de Deborah Giannini

Últimas