Novo Coronavírus

Saúde Butantan começa testes finais de vacina contra coronavírus no dia 20

Butantan começa testes finais de vacina contra coronavírus no dia 20

Previsão do governo de SP, que fechou parceria com laboratório Sinovac Biotech, é que primeiras aplicações sejam feitas a partir de 20 de julho

  • Saúde | Do R7

Vacina da Sinovac contra o coronavírus é uma das mais avançadas do mundo

Vacina da Sinovac contra o coronavírus é uma das mais avançadas do mundo

Rita Álvarez Tudela/EFE

O Instituto Butantan prevê que os primeiros voluntários comecem a receber doses da vacina chinesa contra o coronavírus a partir do dia 20 de julho.

O anúncio foi feito pelo governador de São Paulo, João Doria, nesta segunda-feira (6), dois dias após a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) liberar os testes no Brasil.

Nos próximos dias, profissionais de saúde poderão se inscrever em seis unidades da federação (SP, DF, RJ, MG, RS e PR) para receber a vacina, chamada de CoronaVac.

Serão ao todo 9.000 voluntários, apenas da área da saúde e que trabalhem diretamente no atendimento de pacientes com covid-19.

A vacina do laboratório chinês Sinovac Biotech é uma das que estão em estágio mais avançado no mundo.

As pesquisas anteriores apresentaram resultados promissores e a última fase de testes em humanos — e a maior — será feita no Brasil, por meio da parceria com o Butantan.

As duas fases anteriores de testes foram feitas com voluntários chineses. As conclusões dos estudos mostraram que ela foi capaz de proteger contra a infecção pelo novo coronavírus em 90% das pessoas vacinadas.

"Estou muito entusiasmado de que essa será uma das vacinas que chegará ao mercado com eficiência, muito rapidamente", afirmou o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas.

Os primeiros lotes da vacina experimental chegam da China na próxima semana, segundo o governador.

Esta fase de testes terá custo de R$ 85 milhões, valor que será integralmente custeado pelo governo paulista.

O Instituto Butantan também está adaptando uma fábrica para a produção de 100 milhões de doses da CoronaVac.

Últimas