Novo Coronavírus

Saúde Câmara aprova projeto que amplia validade de receitas médicas

Câmara aprova projeto que amplia validade de receitas médicas

Matéria que agora segue para análise do Senado não vale para remédios de uso controlado, que seguem com a necessidade de retenção do documento

  • Saúde | Da Agência Brasil

Medida não vale para medicamentos "tarja preta"

Medida não vale para medicamentos "tarja preta"

Edu Garcia/R7

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (7) um projeto de lei que torna indeterminado o prazo de receitas médicas, enquanto durar o estado de calamidade pública instituído por causa da pandemia de covid-19. A matéria segue para análise do Senado.

A medida vale para o receituário de medicamentos simples e de uso contínuo. O texto inclui também os medicamentos odontológicos.

Leia mais: Anvisa autoriza experimento com sangue de curados do coronavírus

Já os remédios de uso controlado continuarão com a necessidade de retenção da receita pela farmácia e prazo determinado de validade, conforme regulamentado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Dessa forma, antibióticos, antidepressivos e remédios de controle, incluindo os conhecidos tarja preta, tiveram as regras mantidas.

“Se liberarmos indefinidamente os remédios com tarja preta, poderemos ter consequências inimagináveis, além da automedicação, da venda ilegal da medicação. Então, a Anvisa já regula, e essa regulamentação precisa ser mantida”, afirmou a relatora do texto, deputada Alice Portugal (PCdoB-BA).

O texto prevê ainda que pacientes de grupos mais suscetíveis à contaminação pelo novo coronavírus, assim como pessoas com deficiência, poderão indicar terceiros, por qualquer forma de declaração, para retirar os medicamentos. Quem for buscar o remédio deverá levar a receita médica.

Últimas